NOTÍCIAS

Senado da Argentina acaba com exame Vestibular

04/11/2015 14:09 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
ALEJANDRO PAGNI via Getty Images
A man holds up an Argentinian flag during a demo at Mayo square, in Buenos Aires on January 19, 2015, against the death of Argentine public prosecutor Alberto Nisman, who was found shot dead earlier, just days after accusing President Cristina Kirchner of obstructing a probe into a 1994 Jewish center bombing. Nisman, 51, who was just hours away from testifying at a congressional hearing, was found dead overnight in his apartment in the trendy Puerto Madero neighbourhood of the capital. 'I can confirm that a 22-caliber handgun was found beside the body,' prosecutor Viviana Fein said. The nation's top security official said Nisman appears to have committed suicide. AFP PHOTO / ALEJANDRO PAGNI AFP PHOTO / ALEJANDRO PAGNI (Photo credit should read ALEJANDRO PAGNI/AFP/Getty Images)

O Senado da Argentina aprovou, nesta semana, uma lei que garante o acesso universal e irrestrito ao ensino superior. O dispositivo elimina todo e qualquer exame de ingresso para as instituições. De acordo com o jornal La Nación, a mesma lei garante que os estudos de graduação devem ser gratuitos.

"Todas as pessoas que forem aprovadas no Ensino Médio podem ingressar, de maneira livre e irrestrita, ao ensino de graduação no nível superior", afirma o artigo 7 da lei.

Por outro lado, a lei também dá mais poderes às universidades, especialmente aquelas de menor porte. Até agora, apenas instituições com mais de 50 mil alunos podiam decidir quais os critérios para que um aluno seja considerado regular. A partir de agora, todas as universidades poderão estabelecer os seus critérios.

O país é um destino cada vez mais popular entre estudantes brasileiros, especialmente entre os candidatos que desejam cursar medicina. Além de mensalidades bem mais baratas, no caso de instituições particulares, há maior oferta de vagas e menor concorrência para os cursos na Argentina.

Os alunos, no entanto, tem que se submeter ao processo de revalidação do diploma após retornarem ao Brasil.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: