COMPORTAMENTO

Em entrevista para revista Rolling Stone, Adele fala sobre novo álbum, privacidade e FEMINISMO

03/11/2015 20:02 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Quatro anos depois, Adele voltou. E voltou com tudo.

Após quebrar recordes de vendas nos Estados Unidos e estrear no topo da Billboard com seu novo single Hello, Adele aparece deslumbrante e de "cara lavada" na capa da edição americana da revista Rolling Stone. Durante a entrevista, ela falou sobre a produção de 25, privacidade, carreira e feminismo.

adele rolling stone

Para começar, Adele garante que, diferente do que você pensou assim que ouviu Hello pela primeira vez, a música não é uma carta ao ex-namorado que inspirou o álbum 21 – não é sobre ninguém.

“Se eu estivesse escrevendo sobre ele, seria horrível. Essa música é muito mais sobre me reagrupar comigo mesma, me reconectar”, disse.

E você que espera ansiosamente por um show da cantora, espere ainda mais. Ela disse ainda não saber se fará uma turnê mundial do álbum e por enquanto só ensaia para uma série de apresentações na TV americana.

“Minha carreira não é minha vida, é o meu hobby”, concluiu, acrescentando que deseja sempre estar pronta para lançar álbuns, se apresentar por um tempo e depois “desaparecer” de novo.

Adele ainda disse ser feminista e admitiu que sente que muitas vezes é alvo de perguntas sexistas só por ser uma mulher. "Se há um movimento, isso é ótimo", diz ela. "Quem está fazendo isso? Você vai me perguntar se eu sou uma feminista? Eu não acho que fazem essa pergunta para os homens em entrevistas".

O repórter não faz a pergunta, mas ela decide continuar mesmo assim: "Eu sou feminista. Eu acredito que todos deveriam ser tratados da mesma forma".

E confessou não se sentir nada confortável em reuniões de trabalho com homens. Por ser mulher, muitas vezes ela não é levada a sério. "É como, 'Bom, eu sou a porra do artista'. Então eu sei da porra toda, na verdade! Do tipo, 'Não fale assim comigo'", disse.

Outro momento "girl power" da entrevista foi quando ela disse que trabalhou com Sia antes de 25 e falou:

"Na verdade eu amo a dinâmica que criamos estando ali, sendo super mandonas. E todos aqueles homens produtores, e eles todos putos porque estávamos lá fazendo isso".

Adele ainda falou sobre imagem corporal e disse que já foi cogitada para uma capa da Playboy. "Me perguntam: 'Você posaria para a Playboy?', tantas vezes que chega a ser ridículo. Eles perguntam porque eu sou uma mulher ou porque eu sou gorda?", provocou.

E completa:

"Eu mostraria meu corpo se eu fosse mais magra? Provavelmente não, porque meu corpo é meu. Às vezes eu fico curiosa para saber se eu faria sucesso se não fosse uma mulher 'plus size'. Eu não sou perfeita e acho que muitas pessoas se colocam como perfeitas, inalcançáveis e intocáveis".

Nunca mude, Adele.

Leia a entrevista (incrível) inteira clicando aqui.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: