COMPORTAMENTO

Ela cansou de ser famosa no Instagram e desmascarou a ideia de 'vida perfeita' na rede social

03/11/2015 13:02 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Para os outros, a adolescente e celebridade australiana do Instagram, Essena O'Neill, de 19 anos, parecia ter tudo o que sempre quis: mais de 500 mil seguidores no Instagram, 200 mil inscritos em seu canal no Youtube, milhares de visualizações no Snapchat e toneladas de comentários, o que fez dela uma influência gigantesca nas redes sociais.

Mas ela percebeu que estava "viciada no que os outros pensavam" e se sentiu "perdida, solitária e infeliz". Nesta segunda-feira (2), O'Neill surpreendeu seus fãs ao excluir cerca de 2 mil fotos de seu Instagram e editar as legendas dos quase cem posts que sobraram contando a verdade sobre eles. Ela também trocou sua descrição para "Social Media Is Not Real Life" ("Redes sociais não são a vida real").

"Eu acreditava que o número de curtidas e seguidores que eu tinha era proporcional ao número de pessoas que gostava de mim de verdade", explicou ela em seu novo blog, "Let's be game changers" (Vamos mudar o jogo, em tradução livre). E continuou: "Eu nem sequer vejo isso acontecendo, mas a rede social se tornou a minha única identidade. Eu nem sabia quem eu era sem ela".

O'Neill ainda revelou até mesmo que, aos 15 anos, deixou de comer e começou a fazer exercícios em excesso para ser igual ás outras mulheres que seguia. "[São] não metas".

Essena desmascarou cada uma das imagens com legendas contando como havia sido paga para usar algumas roupas, posar de biquíni só para fazer propaganda de um spray bronzeador, se maquiar em excesso e usar photoshop nas imangens.

"Eu só quero que as meninas mais jovens saibam que esta não é a melhor vida ou fonte de inspiração. É perfeição artificial feita para chamar a atenção", escreveu.

Veja algumas das legendas trocadas por ela abaixo:

Not real life. Only reason we went to the beach this morning was to shoot these bikinis because the company paid me and also I looked good to society's current standards. I was born and won the genetic lottery. Why else would I have uploaded this photo? Read between the lines, or ask yourself "why does someone post a photo... What is the outcome for them? To make a change? Look hot? Sell something? I thought I was helping young girls get fit and healthy. But I only realised at 19 that placing any amount of self worth on your physical form is so limiting! I could have been writing, exploring, playing, anything beautiful and real... Not trying to validate my worth through a bikini shot with no substance #celebrityconstruct

Uma foto publicada por Social Media Is Not Real Life (@essenaoneill) em


"Não é a vida real. O único motivo pelo qual fomos à praia nesta manhã foi tirar fotos destes biquínis porque a companhia me pagou e também porque eu ficava bonita considerando os padrões atuais da sociedade. Eu nasci e ganhei na loteria genética. Por que mais eu teria postado esta foto? Leia entre as linhas, ou pergunte a você mesmo 'por que alguém posta uma foto?... Qual é o resultado para eles? Fazer a diferença? Parecer gostoso? Vender alguma coisa? Eu pensei que estava ajudando garotas a serem saudáveis. Mas eu só percebi aos 19 que colocar qualquer quantidade de autoestima em sua forma física é tão limitante! Eu poderia estar escrevendo, explorando, brincando, fazendo qualquer coisa bonita e real... e não tentando validar meu valor através de uma foto de biquíni sem substância."


"Edite legenda real: eu tinha 16 anos aqui. 16!!! Eu não usava essa roupa fora de casa, coloquei apenas para a foto. Qual é a obsessão com a tentativa de parecer mais velho, mais sexy?"


"Eu estava com acne aqui, isso é um monte de maquiagem. Eu estava sorrindo porque pensei que ficava bonita. Felicidade baseada em estética vai sufocar o seu potencial aqui na Terra."


"Me pagaram 400 dólares para postar um vestido. Isso foi quando eu tinha uns 150 mil seguidores. Com meio milhão, eu sei de várias marcas online que pagam até 2 mil por post. Não há nada de errado em aceitar acordos de marcas. Eu só acho que isso deve ser aberto ao conhecimento. Esta foto não tem substância, [o vestido] não foi feito através de uma fabricação ética (eu não sabia na época). Mídias sociais não são reais. Este é o meu ponto. Esteja atento ao que as pessoas promovem, questione você mesmo, qual é a intenção atrás da foto?"


"NÃO É A VIDA REAL - tirei mais de cem em poses similares tentando fazer com que meu estômago ficasse mais baixo. Quase não comi neste dia. E gritei com a minha irmã mais nova para que ela ficasse tirando fotos até que eu ficasse, de alguma forma, orgulhosa disso."


"POR FAVOR, VALIDE MEUS ESFORÇOS PARA TER UM BUMBUM SEXY NESTA FOTO. Eu gostaria que alguém tivesse me sacudido e dito: "Você tem muito mais em você do que sua sexualidade". Aos 16 anos, isso era tudo o que eu pensava que os outros queriam de mim. Não há nada legal sobre isso. Esta é uma foto tirada por uma questão de tentar levar as pessoas a gostar de uma foto. Não há nada inspirador nisso. A mídia social é uma ilusão".

Agora, O'Neill quer que o Let's Be Game Changers seja espelho de sua nova vida -- mais consciente e livre de padrões. Ela também criou um fórum no endereço virtual em que as pessoas interessadas podem se conectar e participar de discussões. Na seção info do site, ela explica toda as suas motivações e planos para o futuro.

No vídeo acima, ela fala sobre esse processo. E, no vídeo abaixo, ela reforça o momento que passou (ambos estão em inglês, mas valem a pena serem vistos):

"Eu era um paradoxo vivo de auto-amor condicional e de constante ódio. O que quero dizer com auto-amor condicional? Eu mesma estava gostando do quão enfraquecido meu corpo estava, do quão feliz eu parecia estar nas fotos, em quantas pessoas gostaram minhas fotos ... toda a minha ideia de auto-estima girava em torno de minha aparência e meu status nas redes sociais. Basicamente, minha auto-estima se transformou naquilo que eu queria: aprovação social".

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: