ENTRETENIMENTO

Teria Sandra Bullock roubado papel de George Clooney em "Our Name is Crisis"?

02/11/2015 14:07 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Getty Images

Chegou ontem aos cinemas americanos “Our Brand is Crisis”, com Sandra Bullock vivendo, no papel principal, Jane Bodine, uma espécie de João Santana do hemisfério norte. O filme é inspirado no documentário de mesmo nome, que retrata os bastidores de um importante escritório de marketing político americano contratado para eleger presidente da Bolívia um candidato nada popular, de pegada elitista. O curioso é que, na vida real, o tal marketeiro é James Carville. Ou seja, um homem. E, de acordo com a revista americana Time, o papel teria sido originalmente desenhado para George Clooney que, junto com Sandra, assina a produção executiva do longa. Mas foi revisitado para acomodar a estrela, acostumada a trazer brilho a histórias de mulheres que se sentem muito à vontade em ambientes predominantemente masculinos.

A estrategista Jane Bodine é complexa, irritante, agressiva e poderosa. E foi o que fez Sandra querer interpretá-la. “Quando li [o roteiro], ouvi a voz e tinha certeza de que eu saberia interpretá-la. Alguns papeis são essencialmente masculinos ou femininos, mas este não precisava ser”, disse em entrevista ao programa de TV Today Show. A atriz jurou que George ainda não estava conectado ao papel quando decidiu abraçá-lo. E ainda brincou com o apresentador: “Eu poderia roubar algo de George, só não foi esse papel. Eu poderia roubar outras coisas. Talvez uma casa na Itália.”

Coincidência ou não, começam a circular informações sobre a nova versão de Onze Homens e Um Segredo, de 2001, sobre um bando de vigaristas especializados em depenar cassinos. Desta vez, o elenco será todo feminino, e também protagonizado por Sandra – que fará o papel de Danny, interpretado originalmente por… George Clooney. O casting das outras dez atrizes certamente vai movimentar Hollywood pelos próximos meses.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: