NOTÍCIAS

Avião russo com 224 pessoas a bordo cai na Península do Sinai

31/10/2015 09:22 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Um avião com 217 passageiros e mais sete membros da tripulação caiu após decolar da cidade de Sharm el-Sheikh, no Egito, a caminho de São Petersburgo, na Rússia, segundo informações do ministério de aviação civil do Egito.

De acordo com a Reuters, a agência de notícias estatal do Egito, MENA, disse que o avião decolou da cidade de Sharm el-Sheikh, um popular destino na Península do Sinai de turistas russos, às 5h51 da manhã de sábado (horário local) e desapareceu dos radares 23 minutos após a decolagem. "Desde então não voltou a estabelecer contato. A aeronave não aparece nos radares", acrescentou a agência.

O avião, que realizava o voo 9268, decolou às 3h51 (1h51 de Brasília) da cidade turística egípcia de Sharm el-Sheikh, o destino favorito dos turistas russos.

plaine russia

(O avião pertencia à companhia aérea russa Kogalymavia, também conhecido como Metrojet)

Segundo o porta-voz da Rosaviatsia, o avião tinha como destino o aeroporto Pulkovo, da cidade de São Petersburgo, onde deveria aterrissar pouco depois do meio-dia local (7h de Brasília).

De acordo com fontes da embaixada da Russia no Egito, todos os passageiros presentes no avião são cidadãos russos, entre eles 17 crianças e os sete membros da tripulação.

Segundo a agência de notícias Associated Press, uma equipe de resgate já está à procura do avião. As primeiras informações são de que o avião perdeu altura de maneira brusca pouco após a decolagem. O piloto teria pedido à torre de controle permissão para realizar uma aterrissagem de emergência no Cairo.

(Com informações da Agência Estado)

ATUALIZAÇÃO:

Uma fonte de segurança disse à Reuters que a caixa preta do avião foi encontrada. Ele afirmou ainda que um exame preliminar indica que não houve nenhuma operação terrorista e que a queda pode ter sido causada por um erro técnico.

Membros das equipes egípcias de busca e resgate encontraram mais de 100 corpos, incluindo de cinco crianças, em meio aos destroços, disse um oficial no local. "Agora vejo uma cena trágica. Um monte de mortos no chão e muitos morreram ainda atados a seus assentos", afirmou o oficial, que pediu anonimato.

"O avião foi dividido em dois, uma parte pequena na extremidade da cauda que queimou e uma parte maior que colidiu com uma rocha. Tiramos pelo menos 100 corpos e o resto ainda está no interior", acrescentou.

avião russa pessoas

Parentes dos passageiros e parentes das vítimas estão se reunindo no balcão de informações da companhia aérea russa Kogalymavia no aeroporto de Pulkovo, em São Petersburgo, com a esperança de encontrar mais informações sobre o voo.

Maria Zakharova, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, informou na sua página no Facebook que a Embaixada russa no Egito deve acompanhar a situação do avião da companhia aérea russa.

Срочно! Сотрудники посольства России в Египте выясняют ситуацию вокруг самолета российской авиакомпании "Когалымавия". Как только будет получена уточненная информация, она будет предоставлена СМИ.

Posted by Maria Zakharova on Sábado, 31 de outubro de 2015


("Urgente! O pessoal da Embaixada russa no Egito deve acompanhar a situação. Logo mais informações serão recebidas pelos meios de comunicação").

Em seu perfil no Twitter, a Airbus, fabricante do A-321, informou que já tem conhecimento da situação e que está investigando o que pode ter acontecido. Segundo a empresa, mais informações serão fornecidas assim que estiverem disponíveis.


O presidente russo, Vladimir Putin, expressou suas "profundas condolências" às famílias das vítimas e ordenou o envio de equipes de emergência russas para o local da queda. Putin decretou luto nacional no domingo (1º).

O premiê russo Dmitry Medvedev disse, em mensagem publicada no Twitter, que está profundamente chocado pela queda do avião:


("Estou profundamente chocado com o acidente de avião na Península do Sinai. A tragédia serão cuidadosamente investigados, as famílias receberão ajuda")

Logo após o acidente, o Comitê de Investigação da Rússia lançou um processo criminal contra a companhia aérea Kogalymavia. A agência de notícias RIA informou que o caso será investigado pelo artigo de "violação das regras de voos e preparações".

ATUALIZAÇÃO 2:

Não há sobreviventes em acidente de avião russo que caiu no Egito, informa a agência Reuters. Nenhum dos 224 passageiros e tripulantes a bordo de um avião russo que caiu neste sábado na península do Sinai, no Egito, sobreviveu, segundo fontes médicas e de segurança. As equipes de busca e resgate ainda estão recolhendo os restos mortais das vítimas, disseram as fontes à agência.

A aeronave tinha 18 anos e vinha sendo operada pela Metrojet desde 2012, disse a Airbus em um comunicado.

O avião tinha acumulado cerca de 56.000 horas de voo em quase 21.000 voos. Ele era equipado com motores IAE-V2500.

A Airbus ainda afirmou que está pronta para prestar assistência técnica completa à Agência de Investigação Francesa e às autoridades responsáveis pela investigação do incidente. Leia o comunicado na íntegra:

"A aeronave envolvida no acidente, registado sob o número de série EI-ETJ 663, foi produzido em 1997 e desde 2012 operado pela Metrojet. A aeronave tinha acumuladas cerca de 56.000 horas de voo em cerca de 21.000 vôos. Ele foi equipado com motores IAE V2500.

Em conformidade a lei, um grupo de técnicos da Airbus foi destacada para fornecer as informações às autoridades encarregadas da investigação.

O A321-200 é o maior membro da família A320, com capacidade para 240 passageiros. O primeiro A321 entrou em serviço em janeiro de 1994. Até o final de setembro de 2015, cerca de 6.500 aeronaves da família A320 estavam em serviço com mais de 300 operadoras. Até à data, toda a frota já acumulou cerca de 168 milhões de horas voadas em 92,5 milhões de voos.

A Airbus dará mais informações disponíveis assim que os detalhes forem confirmados e liberados pelas autoridades para a divulgação"

ATUALIZAÇÃO 3:

Um grupo militante afiliado ao Estado Islâmico no Egito assumiu a responsabilidade pela queda do avião. A informação, inicialmente, foi divulgada em um comunicado de apoiadores do EI no Twitter, mas foi apagado logo depois.


"Os combatentes do Estado Islâmico foram capazes de derrubar um avião russo sobre a província do Sinai que levava mais de 220 cruzados russos. Eles foram todos mortos, graças a Deus", disse a declaração que circulou no Twitter.

Porém, fontes da segurança egípcia disseram mais cedo às agências de notícias que as primeiras investigações sugeriam que o avião havia caído devido a uma falha técnica.

*Esta nota será atualizada com novas informações.

(Com informações da Reuters)

Avião cai com 224 pessoas a bordo no Egito

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: