NOTÍCIAS

Veja como a ioga, a meditação melhoram o bem-estar das vítimas do câncer

30/10/2015 20:09 -02 | Atualizado 27/03/2017 16:23 -03
PENNY BROHN

Ao ouvir as palavras " tratamento de câncer" você provavelmente as relaciona com radioterapia e quimioterapia. As duas podem ser bem penosas.

Helen Elliott escreveu no blog sobre sua experiência: "Eu tive dias em que meus cabelos caiam aos montes e eu me sentia totalmente exausta com a quimioterapia.

"Além da perda de cabelo e da fadiga, eu também senti dificuldades com o ganho de peso. Todos os efeitos colaterais que eu tive foram bem difíceis de lidar, especialmente quando eles continuaram após o término do tratamento."

Ajudar as pessoas a sobreviverem o câncer de forma verdadeira é muito mais do que oferecer tratamentos para combater as doenças fisicamente.

Cada vez mais o bem-estar está se transformando em uma prioridade ao falarmos de tratamento contra o câncer, mas esse conceito já faz parte da essência do trabalho da instituição inglesa Penny Brohn Cancer Care, há mais de 30 anos.

A instituição de caridade usa a "abordagem do indivíduo como um todo" para ajudar os pacientes de câncer, os sobreviventes ou seus cuidadores a lidarem com a "mente, corpo, alma e emoções, antes, durante e depois do tratamento".

"O Serviço Nacional de Saúde (NHS, nas siglas em inglês) no Reino Unido é brilhante especialmente no tratamento da doença, mas não consegue cuidar da pessoa como um todo", disse a porta-voz da Penny Brohn ao HuffPost UK Lifestyle.

"Nossa abordagem pioneira, que vê o indivíduo como um todo, funciona junto com o NHS pois foca em outros aspectos – mente, corpo, alma e emoções – onde quer que seja que o paciente se encontre na sua jornada de cura.

mãe e filha

Penny Brohn oferece cursos gratuitos para adultos residentes ou quem vai pelo dia ao seu centro, em Bristol. Além disso, eles oferecem sessões de terapia individual e em grupo a nível nacional, focadas em áreas como dieta, exercícios e gestão do estresse.

"É simples. Se as pessoas estão em um lugar melhor e mais positivo, elas estão preparadas e conseguem viver bem com câncer", eles dizem.

Outras grandes instituições de caridade, inclusive o Macmillan Cancer Support reconhecem a importância de melhorar o bem-estar juntamente com a saúde física.

A instituição oferece eventos na área de saúde e bem-estar que cobrem temas variados, desde como lidar com os possíveis efeitos a longo-prazo dos tratamentos até como voltar ao trabalho depois de ter recebido "uma alta".

Eles também organizam caminhadas pelo Reino Unido para qualquer pessoa afetada pelo câncer, ajudando esses indivíduos a ampliarem a sua rede social ao mesmo tempo que aumentam a sua condição física.

"É extremamente importante que as pessoas com câncer tenham todo o apoio para retomar a sua vida após o tratamento", disse Juliet Bouverie, diretora de serviços no Macmillan Cancer Support, ao HuffPost UK Lifestyle.

"Nem sempre é tão fácil já que muitas pessoas sofrem e têm dificuldades em lidar com os efeitos debilitantes do tratamento de câncer, como a ansiedade, o cansaço, as dificuldades para comer e os problemas de locomoção".

Pelo país, outras menores instituições oferecem aulas especializadas de ioga, grupos de meditação e retiros de spa para pessoas afetadas pelo câncer.

The Life Centre, em Londres, agora oferece aulas criadas especificamente para os pacientes de câncer.

As aulas são abertas para pessoas em vários estágios de seu diagnóstico de câncer, desde quem acabou de passar por uma cirurgia até quem atualmente está tendo sessões de quimioterapia ou radioterapia.

meditação

Uma sessão de ioga no The Life Centre

Os sobreviventes de câncer também aproveitam as aulas, já que as cicatrizes podem limitar a variedade de seus movimentos e fazer com que as aulas regulares de ioga sejam mais difíceis para eles.

"Eu trabalho com exercícios de fortalecimento para que as pessoas possam reconstruir a massa muscular que eles possam ter perdido durante a cirurgia ou a quimioterapia", disse o professor Vicky Fox ao HuffPost UK Lifestyle.

"É frequente ver as pessoas com problemas de equilíbrio, decorrente da fraqueza nos músculos, da neuropatia (quando eles não conseguem sentir os pés) ou de tontura, então nós usamos a parede ou as cadeiras para ajudar com o equilíbrio".

Além de auxiliar os seus clientes a lidarem com os efeitos físicos do câncer, Fox se dedicou a melhorar o bem-estar daqueles que passam pela porta do seu estúdio em Notting Hill.

Cada aula acaba com posturas restauradoras e relaxamento guiado.

"As pessoas podem se sentir absolutamente exaustas com o tratamento delas, então as aulas podem ajudar a aliviar aquela sensação de fatiga ao realizarem posturas que são energizantes, como a supta baddhakonasana (posição feita ao estar deitado em uma almofada com as solas dos pés tocando)", explica Fox.

"Eu frequentemente ouço que a coisa mais difícil (sobre o câncer) é que as pessoas não conseguem parar de ter pensamentos que ficam dando voltas repetidamente. Por boa parte da aula, de uma hora e quinze minutos, elas têm algumas ferramentas para alimentar as suas mentes, digamos assim."

Fox ensina aos seus pupilos técnicas de respiração para ajudá-los com a sua atenção e lidar com o estresse.

"Essas são ferramentas que eles podem levar com eles para onde forem e usá-las", disse. "As pessoas usam as técnicas de respiração enquanto esperam pelos resultados no oncologista ou quando fazem quimo."

Uma pessoa que se beneficiou dessas sessões realizadas por Fox e sua equipe no The Life Centre é Lucy Davis, de 34 anos, que atualmente recebe quimioterapia para seu câncer de mama.

Uma sessão de ioga no The Life Centre

ioga

"Para mim a ioga é uma excelente maneira de me manter ativa, movimentando, para evitar alguns efeitos colaterais do tratamento", ela nos conta.

"Eu me sinto cansada, mas a ioga é revigorante e a aula que eu faço me deixa com a sensação de que estou em um

ambiente seguro e de cura. É um lugar onde eu não sinto nenhuma pressão para me esforçar demais. Eu apenas sigo o meu próprio ritmo."

Davis teve um bebê alguns meses antes do diagnóstico de câncer de mama e descobriu o seu amor pela ioga quando estava grávida.

Ter a oportunidade de praticar ioga ao mesmo tempo que recebe o tratamento está ajudando Lucy a superar este momento difícil.

"Para a minha mente a ioga é calmante e uma excelente forma de me manter equilibrada e presente. E para o meu corpo, é

maravilhoso manter as coisas fluindo.

"Eu também considero a camaradagem, o apoio do grupo e da maravilhosa professora Vicky, muito restaurador e aguardo ansiosamente por esse momento todas as semanas. Eu fiz uma grande amizade – com uma outra jovem mãe na minha situação – através desta aula, então muitas coisas boas têm acontecido por conta disso"

Uma das sessões da Penny Brohn, que está tornando-se cada vez mais popular, é a aula de meditação em grupo.

jardim

O jardim de Penny Brohn, onde ocorrem algumas sessões

Sarah MacDonald, gerente de operações de serviços da Penny Brohn e encarregada pelas aulas de meditação da instituição, diz que as sessões podem ajudar os pacientes a lidar com o estresse emocional do câncer.

"Um diagnóstico de câncer pode ser bem chocante e confuso. Nossos clientes frequentemente sentem dificuldades como o medo e a ansiedade, ou com pensamentos sombrios, difíceis ou repetitivos", segundo ela.

"A meditação é fantástica por deixar isso sob controle e ajudar as pessoas a se sentirem mais calmas, focadas e empoderadas perante a doença".

"A prática de mindfulness (atenção plena) e a meditação são habilidades fundamentais que nós ensinamos durante todos os nossos serviços. Nós utilizamos técnicas diferentes, como o movimento com 'atenção plena', a meditação ao respirar ou ao usarmos palavras e imagens.

"Coisas diferentes atendem necessidades diferentes e nós queremos que todos se sintam capazes de descobrir a meditação que funciona melhor para eles".

Depois de uma sessão de meditação da tarde, na Penny Brohn, os residentes têm a opção de escolher uma massagem relaxante que é adequada aos pacientes de câncer - uma raridade no Reino Unido.

massagem

Terapia de massagem na Penny Brohn

Embora alguns spas ofereçam pacotes para pacientes com câncer – tais como o retiro de quatro noites do Grayshott Spa - muitos salões e spas dão as costas aos clientes que recentemente receberam tratamento de câncer.

"Eu pesquisei um pouco e percebi que o câncer é um assunto meio tabu nos spas. Eu liguei para alguns e falei para eles isso é uma loucura", contou Abi Wright, fundadora do spabreaks.com, anteriormente ao The Guardian.

"Os spas são os lugares ideais para as pessoas irem quando estão lidando com a severidade que é o tratamento de câncer ou quando estão se recuperando dele. O que os spas precisam fazer é ficarem espertos no que pode ou não pode ser feito."

Wright se associou a Michelle Hammond, diretora educacional do Spa-Life e SpaBusinessSchool, Jennifer Young, fundadora do Beauty Despite Cancer e Peter Mackereth do The Christie para exigir mudanças.

Em novembro eles vão oficialmente lançar o "The Power Of Touch" ("O Poder do Toque", em tradução livre) – uma campanha que pede para revolucionar a indústria de spa para qualquer um que tenha câncer ou que esteja se recuperando, até o final de 2018.

Parece que os serviços dedicados a melhorar o bem-estar dos pacientes de câncer e seus sobreviventes vão ficar cada vez mais melhores.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: