NOTÍCIAS

Peru condena padre que estuprou menino a 35 anos de prisão

28/10/2015 12:14 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
iStock

Um padre católico foi sentenciado no Peru nesta terça-feira a 35 anos de prisão por ter estuprado um menino repetidas vezes, entre julho de 2010 e abril de 2012, na escola em que era capelão. Este é um dos raros casos em que o país decidiu prender um clérigo acusado de abuso sexual.

O tribunal decidiu que Waldir Pérez usou a sua posição de padre e capelão na escola particular do distrito de Ate, na província de Lima, para abusar do garoto, que tinha 10 anos quando sofreu o primeiro abuso.

Pérez, que também deve pagar à vítima o equivalente a R$ 9.500 em compensação, confessou os crimes, segundo o tribunal. Testes médicos e psicológicos também ratificaram o testemunho do garoto.

A vítima declarou que uma vez o padre lhe deu o equivalente a R$ 170 para abusar sexualmente dele, e assim ele conseguiria comprar um MP3, afirmou o tribunal.

A Igreja Católica tem sido abalada por revelações de abusos sexuais, especialmente nos Estados Unidos e na Europa. Recentemente, acusações similares contra integrantes da Igreja têm aumentado na América Latina, majoritariamente católica, onde os padres são mais ativos nas escolas.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: