NOTÍCIAS

Polícia descarta crime de ódio em morte de haitiano e libera menor de idade por falta de vagas em Caseps do estado

22/10/2015 12:44 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Reprodução Facebook

Após interrogar dois jovens envolvidos no assassinato do haitiano Fetiere Sterlin, a Polícia Civil descartou a possibilidade de crime de ódio. Ele foi morto no último sábado (17) por um grupo de adolescentes em Navegantes, a 112 km de Florianópolis.

Dois jovens, um de 17 e um de 24 anos, admitiram participação no crime. Segundo o depoimento dos dois suspeitos, Sterlin havia assediado a namorada de um deles mais cedo, o que teria motivado a briga. O mais novo classificou o crime como um "acerto de contas."

A esposa de Sterlin, a brasileira Vanessa Nery Pantoja, desmentiu a versão dos acusados, bem diferente da que foi contada por ela.

"Isso é mentira, é equivocado o que ele falou. Não existe essa possibilidade. Foi xenofobia sim, foi racismo. Tem cinco testemunhas para falar isso. Eles não chegaram discutindo, chegaram golpeando"

O adulto foi preso preventivamente. O menor de idade, de 17 anos, segue em liberdade por falta de vagas nos Caseps (Centro de Atendimento Socioeducativo Provisório) do estado, conforme informou o delegado Rodrigo Coronha ao G1.

A polícia ainda investiga outros três suspeitos, todos menores de idade. O delegado afirmou ao G1 que acredita que em até dez dias o inquérito estará concluído.

Repercussão

A presidente Dilma Rousseff lamentou a morte de Sterlin em sua conta do Twitter e prestou solidariedade à família.


O Ministério da Justiça e o Governo de Santa Catarina divulgaram notas de pesares pela morte de Sterlin. Um trecho da nota do Ministério da Justiça diz:

"Além de criminoso, o episódio ofende nossa histórica tradição de acolhida e respeito aos imigrantes que vêm ao Brasil construir suas vidas e que ajudaram, e ajudam, no desenvolvimento socioeconômico do País."

Nas redes sociais, o caso também gerou comoção dos usuários. Em geral, muitos vão contra à conclusão da polícia e defendem que o assassinato tenha sido crime de ódio.

DIGA "NÃO" AO RACISMO E PRECONCEITO! A Polícia Civil de Santa Catarina investiga um suposto crime de ódio ocorrido na...

Posted by Jaraguá Variedades on Terça, 20 de outubro de 2015



Entenda o Caso

No último sábado (17) o haitiano Fetiere Sterlin foi morto a facadas por um grupo de adolescentes. A esposa e um grupo de amigos que o acompanhava alegam que os adolescentes teriam xingado Sterlin e depois voltado junto com mais pessoas para atacá-los com armas brancas como facas, uma pá, barras de ferro e outras ferramentas.

Sterlin chegou a ser socorrido pelo Corpo de Bombeiros, mas morreu antes de chegar ao hospital depois de várias paradas respiratórias.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: