COMPORTAMENTO

Os destaques de João Pimenta, Iódice e o que esperar de Glória Coelho

21/10/2015 11:30 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

João Pimenta é conhecido por seu trabalho conceitual na moda masculina. Se na coleção de verão o estilista apostou no não-gênero, nesta ele buscou quebrar alguns padrões ao misturar alfaiataria com street style. Os paletós ganharam capuz, a lã fria foi usada em moletons e alguns modelos desfilaram de terno, boné e mochila. "Busquei fazer uma coleção mais próximas do meu cliente", disse. "Eles querem roupa comum, mas com algo diferente. Por isso, apostei nas cores, bordados e nos tecidos. Meu desejo era mesmo ficar mais pé no chão e próximo do consumidor final."

Sua coleção de inverno 2016 tem um quê de verão retrô. Inspirado em ícones do Brasil tropical, Pimenta levou à passarelas peças nos tons da bandeira em versões suaves, com modelagens leves e cheias de movimento. Estampando os bolsos dos ternos e casacos, imagens religiosas, bordados de café, mapa e a primeira bandeira do Brasil. O arremate no ar vintage ficou por conta dos tecidos, que já saíram de linha e foram buscados no acervo da Paramount Têxteis.

Iódice atualiza o look de brechó com glamour e modernidade

A Belle Époque e o filme "Morte em Veneza" foram pontos de partida para o desfile da Iódice. A renda guipir apareceu de um jeito sexy em tops de manga longa e gola alta, enquanto vestidos de seda com a cintura marcada deram um ar feminino às produções. "Boinas e listras remetem a referências navy que também fazem parte da coleção", diz o estilista Valdemar Iódice.

O que mais chamou a atenção? O tricô com trama de couro listrado à la Kurt Cobain, bem amplo, usado com saias longas dão um novo olhar para proporções mais alongadas. A coleção, por sinal, veio com um ótimo styling, assinado por Pedro Sales. Os looks com comprimento curto são apostas certas para noites de balada. E os mídis com tramas e transparências pontuam o inverno sexy e cool da marca.

Destaque também para os acessórios. Além da boina (uma graça! Boa opção para o substituir o chapéu floppy), óculos grandões de grau (bem retrô). As botinhas de tressê devem ganhar as ruas.

Gloria Coelho

Ligada em numerologia, cabala e física quântica, a estilista Gloria Coelho apresenta sua coleção de inverno 2016 na próxima quinta (22) às 12h20 no prédio da Bienal - em geral, os desfiles da estilista costumam começar no horário exato escolhido por ela. Nesta temporada, a inspiração para suas criações virá das tribos nórdicas. Ela detalha o assunto e antecipa outros detalhes da apresentação.

1. Jon Snow como referência

O personagem da série "Game of Thrones" serviu como ponto de partida para as criações de inverno da estilista. "Estou obcecada por ele", diz Gloria, que também se inspirou em povos da Escandinávia e de algumas partes da Inglaterra.

2. Shapes dos anos 60

Não é segredo que a estilista adora a modelagem sessentinha. Desta vez, ela vem pontuada por elementos da década de 70 e até de 2000. "Eu amo o mood da época dos Beatles, mas ele estará diluído em meio a outras coisas", conta.

3. A coleção será dividida

"Quero rejuvenescer a marca, por isso há dois momentos. Para a mulher que trabalha, há macacões e blazers. Para a menina que vai dançar, shorts e jaquetas."

4. Cartela do preto ao prata

Para retratar o clima nórdico, Gloria buscou cores variadas. "Usei muito preto, off white, gelo, bege, um tom que chamo de leão, nude, prata, ouro velho, cobre, cinza e vermelho escarlate", enumera.

5. Bolsas pela primeira vez

"Já criei bolsas há muito tempo, agora voltei e decidi mostrá-las na passarela", conta Gloria. "Elas têm uns coelhinhos, uma coisa meio infantil que adoro."

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: