NOTÍCIAS
21/10/2015 15:05 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Cinegrafista húngara que chutou refugiados vai processar Facebook e refugiado sírio

Montagem/Reprodução

Após chamar a atenção da comunidade internacional ao aparecer agredindo refugiados que tentavam, desesperados, atravessar a fronteira da Hungria com a Sérvia, a cinegrafista Petra Laszlo resolveu tomar mais uma atitude controversa.

Em entrevista ao veículo russo Izvestia, Laszlo anunciou que vai processar Osama Abdul Mohsen, um homem que carregava seu filho de sete anos no colo e que foi derrubado por ela, e também o Facebook.

Ela afirma que a rede social não foi eficiente em remover mensagens que a xingavam e a ameaçavam. No lugar, segundo Laszlo, o Facebook se preocupou em banir grupos que apoiavam sua atitude.

Já Osama - que atualmente vive na Espanha, onde foi contratado como treinador de um time de futebol - seria processado por mudar seu depoimento à polícia, de acordo com a rede Sky News.

"Ele mudou seu depoimento porque ele inicialmente culpou a polícia", afirmou a cinegrafista, contando ainda que seu marido também deseja provar sua inocência.

Laszlo, que foi demitida da emissora onde trabalhava, um canal ultranacionalista chamado N1TV após o vídeo se tornar público, também está sendo processada pelo governo húngaro. Ela afirmou que vai entrar com o processo após o seu caso diante da promotoria ser encerrado. "É uma questão de honra", afirmou.

Após a repercussão do caso, ela fez um pedido de desculpas público, e afirmou que teve um ataque de pânico durante a confusão. Na entrevista, ela também contou que sua família considera se mudar para a Rússia, pois vem sofrendo ameaças na Hungria.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: