NOTÍCIAS

Quer criar uma criança mais focada e calma? Troque a música infantil pela clássica

19/10/2015 23:06 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
M-IMAGEPHOTOGRAPHY VIA GETTY IMAGES

Vejo um adesivo no plástico do CD que seguro neste momento, ele diz, “Produzido por Phil Ramone”. O grande produtor, que faleceu em 2013, possui um nome que poucos produtores musicais podem alcançar: ele trabalhou com Stevie Wonder, Paul Simon, Billy Joel, Madonna e Sinéad O’Connor.

Esse álbum, no entanto, é um pouco diferente. É música clássica selecionada para as crianças.

“Ele na verdade começou na infância como um violinista prodígio”, disse Marc Neikrug, um renomado compositor clássico que colaborou com Ramone no álbum, Sunken Cathedrals depois de ser apresentado pelo Dr. Rock Positano, um podologista com um interesse especial no valor medicinal da música.

“Nós três estávamos interessadíssimos em promover a música clássica para as crianças, por vários motivos”.

Os pais ouvem falar há décadas sobre os benefícios específicos que a música clássica traz ao desenvolvimento da mente e o seu poder em acalmar bebês -- imagine uma mãe grávida ouvindo Mozart com audífonos levados até a sua barriga —mas o debate científico segue fervendo.

No entanto, em uma era em que as crianças se desenvolvem rodeadas por estímulos e distrações constantes, Neikrug vê um valor único na música clássica. “Estou preocupado em ver um mundo onde existe um movimento quase que agressivo e corporativo para diminuir a capacidade de atenção das pessoas de forma que seu cérebro não consiga focar mais do que meio minuto em basicamente qualquer coisa sem precisar de algum outro estímulo”, ele me disse.

“É assustador. Como você consegue absorver e aprender qualquer coisa? Como você espera que as crianças possam ir em na escola desse jeito?” Com um aumento constante da audiência, especialmente entre crianças pequenas, alguns estudos sugerem que assistir TV com frequência quando somos crianças pequenas ou até bebês pode prejudicar a nossa capacidade de atenção mais tarde, durante a infância.

Onde a música clássica se encaixa em tudo isso?

“Acredito que é muito importante que as crianças, desde cedo, cultivem algum tipo de habilidade para melhorar o foco”, disse Neikrug.

“Uma boa música é capaz de fazer isso, você é atraído pelo que está ouvindo”. Uma valsa de dois ou três minutos pode não parecer muito para a concentração, mas é “ótimo para manter a atenção das crianças”, disse.

“Escolhemos bem as peças musicais para que não fossem muito longas.”

Elas são calmas, bonitas e simples, o tipo de música que não vai irritar as crianças ou jogar nelas constantes distrações. Parecido ao ler em voz alta às crianças, as composições clássicas e calmas incentivam a criança a uma forma de diversão de menor estímulo e mais substancial.

“Acredito que é muito importante que as crianças, desde cedo, cultivem algum tipo de habilidade para melhorar o foco.” Marc Neikrug

Todas as canções do álbum, de duas partes, não tiveram adaptação e são trabalhos completos de música clássica, piano solo ou piano com violino, de Schubert até Schumann, Mozart até Debussy.

“Ambos Phil e eu, e o Dr. Rock, estávamos totalmente convencidos que precisávamos obras musicais curtas e belas para as crianças. Elas também são ótimas para os adultos”, observa ele, embora as palavras “Clássicos para as Crianças” na capa possam assustar alguns adultos.

A habilidade de desfrutar música clássica mais tarde, argumenta Neikrug, é um dos possíveis benefícios de ouvir música clássica quando ainda somos crianças. “Se você ouve música clássica desde pequeno, mesmo com digamos, oito/nove até os 20 anos, as pessoas viajam naquele mundo [da música popular] [...] se você retorna um dia nele. É o mesmo que aprender outra língua cedo”, disse. “Elas retornam.”

Isso não quer dizer que você deva jogar todos os seus álbuns do cantor infantil Raffi da sua casa. “Eu não sou a favor de deixar de viver a realidade do mundo”, disse Neikrug. “Eu só não acho que seja mutualmente exclusivo. Eu diria que alguém, capaz de focar por uma hora [...] da mesma forma que é capaz de enviar uma mensagem com uma só mão por debaixo da mesa, está bem.”

Então como é que fazemos com que adultos modernos escolham um álbum de clássicos que possam beneficiar os seus filhos?

“No fim, eu acho que é escolhendo as pessoas”, disse Neikrug. “Phil Ramone era um dos grandes produtores musicais e é de duas pessoas muito respeitadas no mundo da música clássica. Não é Yanni. Não é 'Vila Sésamo.'”

Os pais que cresceram com a música do grande Ramone — como Bob Dylan ou até Lady Gaga – podem deixar os seus filhos fazer o mesmo, a partir da infância. Talvez, em algum momento desse caminho, esses bebês se apaixonem do harmonioso prazer que é a música clássica.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: