NOTÍCIAS
18/10/2015 18:12 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Ex-ministro da Educação, Cid Gomes se filia ao PDT e chama Michel Temer de 'chefe de quadrilha'

Reprodução/Facebook

O ex-ministro da Educação e ex-governador do Ceará Cid Gomes assinou neste sábado (17), em Fortaleza, ficha de filiação ao PDT. Durante a cerimônia, realizada no Ginásio do Náutico Atlético Cearense, ele acusou o vice-presidente da República, Michel Temer, de ser o chefe da quadrilha de achacadores que assola o Brasil. E disse que o Brasil não irá avançar com o PMDB na presidência.

"Se as coisas estão ruins hoje, não é voltando ao passado com uma oposição conservadora e golpista que iremos melhorar", disse. "Muito menos o Brasil pode avançar se entregar a Presidência da República ao símbolo do que há de mais fisiológico e podre na política brasileira, que é o PMDB liderado por Michel Temer, chefe dessa quadrilha que achaca e assola o nosso País" , completou Cid Gomes.

Ele também recomendou ao PDT se engajar na campanha que pede a renúncia do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Disse que o partido precisa traçar um projeto de país para disputar a Presidência em 2018 e que esse projeto passa pela liderança do irmão dele, Ciro Gomes, também recém filiado ao PDT.

O discurso de Cid foi feito durante a convenção do PDT cearense. Apenas a metade da quadra do ginásio estava ocupada por militantes. A organização começou a retirar o excesso de cadeiras antes mesmo do final do evento.

O tom de Cid é tão ácido quanto o do irmão, Ciro Gomes, outro que vem seguidamente tecendo críticas a Eduardo Cunha.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- MEC da 'Pátria Educadora': 10 meses, 4 ministros e uma gestão sem orçamento

- 'Cid meteu o dedo na cara do maior vagabundo de todos, o presidente da Câmara'

- Cunha sobre os R$ 50 mil de indenização de Cid Gomes: 'Acho pouco'

- 9 momentos que mostram que SINCERICÍDIO é com os irmãos Gomes