NOTÍCIAS

Cerco contra Cunha se fecha e oposição ameaça abandonar o peemedebista

16/10/2015 21:39 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Estadão Conteúdo

As novas revelações sobre as contas na Suíça do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre o novo pedido de abertura de inquérito contra ele e a ocultação de patrimônio nos Estados Unidos fez com que até aliados mais próximos direcionasse a artilharia contra o peemedebista.

Um dos passos mais fortes nesse sentido foi do secretário-geral do PSDB, deputado Silvio Torres (SP). Ele defendeu que a agenda da oposição não dependa mais das "reduzidas chances de sobrevida" do peemedebista.

A oposição ainda está ao lado do parlamentar na expectativa de que ele dê encaminhamento ao pedido de impeachment contra a presidente. Para Torres, entretanto, a decisão de Cunha não tem mais tanto valor. "O processo de impeachment, se tiver respaldo jurídico e político, seguirá curso próprio"

O líder da bancada no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), e o presidente nacional da sigla, senador Aécio Neves (MG), rechaçaram acordo para blindar o peemedebista. Cunha Lima chegou a criticar a postura da bancada tucana na Câmara que, de olho no início do processo de impeachment de Dilma Rousseff, tem evitado defender publicamente a saída de Cunha e se limitou apenas a divulgar uma nota sobre o tema.

"Não quero intervir na bancada da Câmara, ou na liderança do deputado Carlos Sampaio, mas nesse episódio o PSDB pecou no mínimo por lentidão", disse nesta semana.

Parlamentares que já faziam oposição ao presidente da Casa intensificaram o discurso do #ForaCunha. O deputado Chico Alencar (PSol-RJ), por exemplo, fez uma campanha na internet para os eleitores ajudarem a tirar o peemedebista do comando da Câmara.

AJUDE A TIRAR CUNHA DA PRESIDÊNCIAAssinaturas em contas no exterior é prova cabal.Passaporte, documento de ofí...

Posted by Chico Alencar on Sexta, 16 de outubro de 2015


Aliado

Apesar dos aliados estarem sumindo, o deputado Paulinho da Força (SD-SP) reiterou apoio ao presidente da Câmara. De acordo com a Folha de S.Paulo, Paulinho disse que está com Cunha “para o que der e vier”. Ele afirmou que a intenção é derrubar a presidente e que as novas denúncias não mudam em nada a posição dele.

(Com Estadão Conteúdo)

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: