NOTÍCIAS

Protesto contra mudanças no ensino estadual de SP termina em confronto com a PM

15/10/2015 13:42 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

ESCOLAS EM LUTA"Governador Alckmin a escola quer fechar. Os estudantes vêm aqui pra poder reivindicar"Agora, na frente do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista e residência oficial do governador Geraldo Alckmin.Por Por Carolina Trevisan e Gabriel Binho, especial para os #JornalistasLivres, em Defesa da Educação!E atenção! Mande o relato da mobilização em sua escola ou bairro! Vamos mostrar para todo o mundo que não aceitaremos a destruição da escola pública!#NãoFechemMinhaEscola #JornalistasLivres

Posted by Jornalistas Livres on Quinta, 15 de outubro de 2015

Um grupo de alunos e professores iniciou, por volta das 10h, uma caminhada no Largo da Batata, em Pinheiros, zona oeste da capital, em protesto contra a reforma estrutural no ensino estadual. O ato, que foi integralmente pacífico, teve em seu final um confronto entre mascarados e a Tropa de Choque da Polícia Militar.

Os manifestantes seguiram em direção ao Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista, no Morumbi. A marcha, de cerca de 5 km, seguiu ao som de baterias improvisadas em latas de óleo, de tamborins e outros instrumentos musicais.

O vice-presidente da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes), Tiago Cesar dos Santos, 18 anos, justificou o ato como uma forma de protestar contra a reorganização do ensino e a política de corte de professores.

“A realidade que temos é uma escola sucateada, superlotada, que parece um cárcere, com falta de professores. Com essa política, está previsto o fechamento de mais de mil escolas”. Além disso, ele lembrou que mais de 20 mil professores estão correndo o risco de ser demitidos, entre outros funcionários.

O professor afastado Caio Desorce disse que “o governador declarou guerra à educação pública. Mas o que a gente precisa é de mais verba, mas escolas, de menos alunos por sala de aula”.

Líderes do protesto esperavam ser recebidos por um representante do governo estadual, o que não ocorreu. Quando o ato já se dispersava, um pequeno grupo de mascarados passou a atirar paus e pedras para dentro do Palácio dos Bandeirantes e acabou reprimido pela PM. Houve correria, mas não há informações sobre presos ou feridos.

A Secretaria da Educação pretende implantar, no início de 2016, escolas com um dos três ciclos do ensino básico (anos iniciais – do 1º ao 5º e finais – do 6º ao 9º), do ensino fundamental e médio. Hoje, muitas escolas têm os três ciclos juntos. Com essa medida, unidades com baixa demanda devem ser fechadas.

(Com Estadão Conteúdo e Agência Brasil)

Manifestação no Dia dos Professores em São Paulo

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: