NOTÍCIAS

Percentual de brasileiros que reprovam transporte público no País aumenta em três anos

14/10/2015 09:53 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Blog do Mílton Jung/Flickr
Passageiros esperam ônibus no Terminal Capelinha em mais um dia de transporte confuso devido aos temporais na cidade Foto: Ademir Batista dos Santos, ouvinte-internauta

Um estudo divulgado nesta quarta-feira (14) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) revelou que o percentual dos brasileiros que reprova o transporte público aumentou nos últimos anos.

Em 2014, 33% dos brasileiros ouvidos na pesquisa avaliaram o transporte público do País como "ruim" e "péssimo" e 32% o classificaram como regular, enquanto 24% avaliaram como "bom" e "ótimo".

Três anos atrás, no entanto, os números eram outros: 39% acreditavam que tinham um transporte "bom" ou "ótimo". Em contrapartida, 26% avaliaram como "regular" e 28% da população classificaram como "ruim" e "péssimo".

Além disso, neste ano, houve um aumento de 3 pontos percentuais entre os que consideravam o transporte público péssimo -- em 2011 o percentual era de 16% e, três anos depois, ele subiu para 19%.

Segundo o estudo, a região Sudeste apresentou a pior avaliação do transporte público. Em 2011, 41% da população avaliavam como "ótimo" e "bom", valor que caiu para apenas 21% dos respondentes três anos depois -- queda de 20 pontos percentuais.

Já a região Sul é a mais satisfeita com o transporte público: 31% dos entrevistados avaliaram positivamente o transporte em suas cidades.

O percentual das respostas negativas aumenta de acordo com o porte dos municípios. Em cidades de até 20 mil habitantes, em média, 35% avaliam o transporte público como bom. Já em municípios de mais de 100 mil habitantes, este percentual cai para 20%.

Principais razões

Segundo os entrevistados, os principais problemas do transporte público estão relacionados à capilaridade e frequência, como possuir poucas linhas e poucos veículos disponíveis (26%), à lentidão (24%), preço (10%), o ônibus é desconfortável (8%), polui muito e tem maior risco de assalto (ambos 2% das respostas).

Trânsito

A percepção em relação ao trânsito do dia a dia também piorou. Segundo o levantamento, em 2011, 26% dos brasileiros gastavam mais de uma hora por dia em seu deslocamento diário, como trabalho e estudos. Em 2014, o percentual subiu para 31%.

Na contramão, os que demoravam até uma hora em seu trajeto caiu de 74% para 69%.

Entre os meios de transportes mais usados pela população, o ônibus aparece na liderança, com 24%, seguido pela locomoção a pé (22%), carro (19%), motocicleta (10%), van ou ônibus fretado (9%) e bicicleta (7%).

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: