ENTRETENIMENTO

Luiz Carlos Miele, produtor, diretor e ator, morre aos 77 anos no Rio de Janeiro

14/10/2015 12:07 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Reprodução/Exame

Faleceu na manhã desta quarta-feira, 14, o produtor musical e diretor Luiz Carlos Miele, de 77 anos, de mal súbito. Ele foi encontrado morto por bombeiros no interior de sua casa, no bairro da Gávea, zona sul do Rio.

Nascido em 1938, em São Paulo, Miele iniciou a carreira como locutor de rádio, nas emissoras Excelsior, Tupi e Rádio Nacional. Acabou produzindo diversos shows de cantores famosos.

Filho da cantora e instrumentista Irma Miele (ou Regina Macedo, seu nome artístico), mudou-se para o Rio de Janeiro em 1959, onde conheceu o compositor Ronaldo Bôscoli. Com ele, formou a dupla Miele e Bôscoli. Juntos, os dois dirigiram vários espetáculos e musicais para a televisão.

Na TV, ele atuou na direção de programas na TV Rio, na TV Excelsior, na TV Record, na Tupi, na Manchete e na TV Record e na TV Globo.

Miele produziu shows de artistas como Roberto Carlos, Elis Regina, Wilson Simonal, Sergio Mendes, Alcione e Milton Nascimento, além dos projetos Chega de Saudade, Vivendo a Rádio Nacional e Vivendo Vinícius.

Nos anos 2000, ele voltou à TV. Viveu o advogado Wexler no seriado "Mandrake", da HBO. Na Rede Globo, em 2008, participou das séries Casos e Acasos e Tapas e Beijos. Também atuou na novela Geração Brasil, da mesma emissora.

Em 2008, junto com a atriz e cantora Thalma de Freitas, apresentou o espetáculo Bossa Nova 50 anos, em plena praia de Ipanema, zona sul do Rio. No elenco musical estavam nomes como Carlos Lyra, Roberto Menescal, Leila Pinheiro e Emílio Santiago.

O corpo Miele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), mas ainda não há informações sobre o sepultamento.

Esquina de fatos e pessoas

O cantor Wilson Simoninha, filho de Wilson Simonal, um dos muitos parceiros de trabalho de Luiz Carlos Miele, disse que teve "a alegria de poder conviver com ele (Miele) desde sempre".

"Brincava que ele era o 'Highlander' dessa geração e que teríamos por muito tempo a alegria de poder conviver com ele. Ele foi um gigante no momento dele", afirmou o intérprete, em entrevista à GloboNews, elogiando o bom humor do produtor musical.

João Marcelo Bôscoli, filho do compositor Ronaldo Bôscoli, lembrou que Miele era "um cara que trabalhava duro".

"Era uma figura incrível. Normalmente, quando as pessoas nos deixam, tendemos a olhar o lado positivo. Mas com o Miele teria que fazer um exercício para achar alguma passagem negativa nele. Eu não consigo lembrar. Passar alguma horas conversando com ele era memorável. Ele sempre puxava uma história, de alguma turnê, de alguma coisa. A vida dele era de uma esquina de fatos e pessoas."

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: