COMPORTAMENTO

Nova campanha da Barbie diz que meninas podem ser o que quiserem (VÍDEO)

10/10/2015 21:28 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Reprodução/YouTube

Parece que a ideia de empoderamento feminino chegou de vez em um dos maiores símbolos do mundo dos brinquedos: a Barbie.

A boneca cinquentenária sempre foi acusada de reforçar padrões de beleza irreais entre crianças. Afinal, é anatomicamente impossível ter uma cintura tão fina quanto a da Barbie.

Seus cabelos lisos e loiros, seu corpo esguio e seus acessórios sempre cor-de-rosa não são exatamente uma representação saudável do que é ser mulher.

Parece, no entanto, que a Mattel quer que pais e mães comecem a enxergar a boneca de um jeito diferente.

O comercial, que é bem fofo, retrata meninas em diversas profissões. Professora de neurologia. Médica. Técnica de futebol. Empresária. Veterinária. Paleontóloga. Detalhe: as próprias atrizes-mirins escolheram as carreiras que gostariam de interpretar.

A ideia é tentar mostrar que uma garota pode imaginar ser o que bem quiser brincando de Barbie.

A nova campanha da Barbie é mais um movimento da companhia na direção do empoderamento.

Falta muuuuuito, é claro, para a Barbie ser um exemplo de feminismo e de diversidade. Em passos de formiguinha, porém, a Mattel tem introduzido modelos de bonecas que fogem ao estereótipo da branca, loira de olhos azuis com cabelos lisos.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: