LGBT

Ex-deputado federal diz que foi vetado da Rede por ser a favor do Estatuto da Família

07/10/2015 12:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Reprodução/Facebook

O ex-deputado federal pelo PTB Walter Brito Neto teve sua filiação à Rede Sustentabilidade -- partido recém-criado por Marina Silva -- negada pela Executiva Estadual, segundo ele relatou em seu Twitter no último fim de semana.

De acordo com o político de Campina Grande, a não aprovação se deu pelas suas posições conservadoras e pelo apoio ao formato atual do Estatuto da Família.

A Rede Sustentabilidade já se posicionou contra o projeto de autoria do deputado federal Diego Garcia (PHS-PR), que exclui casais homossexuais do modelo de família.

Em nota divulgada pela legenda, eles dizem que "essa interpretação é não apenas um retrocesso, mas também um claro desafio à Constituição e ao Supremo Tribunal Federal." Leia um trecho:

"Hoje, não só o Brasil, mas o mundo todo, estão acostumados a ver famílias de todos os tipos e formato. São mulheres que, por diversos motivos, criam seus filhos sozinhas; são tias, avós e madrinhas que abrigam crianças cujos pais não têm condições de cuidar de seus filhos ou que faleceram; são amigas que se unem na terceira idade para cuidar umas das outras; são casais de homens ou de mulheres que se amam e desejam compartilhar desse amor com seus filhos – muitos deles crianças abandonadas que viviam em situação precária em abrigos e que tiveram a sorte de serem salvas por quem apenas deseja dar amor a elas. Todas essas pessoas, cada uma dentro de sua realidade, vivem dentro de um grupo familiar. Já é assim na prática, não importa o que alguns deputados digam."

Brito, que por enquanto não está filiado a nenhum partido, se mostrou indignado com a postura da Rede em rejeitá-lo. Para ele, isso é intolerância com os evangélicos.


O político também afirmou no microblog que pretende revogar a decisão falando diretamente com as instâncias nacionais do partido.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: