NOTÍCIAS

Senadoras sugerem que salários de deputados e senadores sejam cortados em 10%, a exemplo de Dilma e ministros (VÍDEO)

06/10/2015 10:45 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

As senadoras Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Gleisi Hoffmann (PT-PR) sugeriram nesta segunda-feira (5), no plenário do Senado, que os parlamentares do Congresso Nacional adotem também uma redução salarial de 10%. A medida seguiria o que a presidente Dilma Rousseff determinou na semana passada a si e aos seus ministros.

“Eu sei que não vão ser R$ 2 mil a menos no salário de cada um que vão resolver o problema do Brasil. Mas para a população brasileira, que está a sofrer com o aumento dos preços e com o aumento da inflação, muitas vezes com a perda do próprio emprego, seria uma demonstração muito importante”, disse Vanessa Grazziotin.

Para Gleisi Hoffmann, é possível até discutir uma redução até maior do que 10% e, para isso, ela irá apresentar uma proposta de resolução para que a medida de redução salarial no Senado avance. “Pode não significar muito do ponto de vista quantitativo, mas com certeza significa do ponto de vista simbólico”, emendou a senadora petista.

Atualmente, deputados federais e senadores recebem salários mensais de R$ 33,7 mil, como manda o reajuste aprovado no fim do ano passado. Se a redução de 10% fosse implementada, eles passariam a receber R$ 30,7 mil mensais.

O senador José Medeiros (PPS-MT) elogiou a sugestão de redução salarial na Casa, mas ressaltou que a sugestão poderia ser mais ampla, com debates acerca de temas como as emendas parlamentares e o seu uso político, e também a respeito do próprio Legislativo – com suas muitas indicações de cargos para o Executivo.

“Sempre que as mulheres se reúnem as melhores ideias aparecem”, afirmou o senador José Pimentel (PT-CE). Para ele, a iniciativa dos parlamentares do Legislativo federal pode contribuir para as reduções de salários cheguem às Assembleias Legislativas estaduais. “Poderia ser um instrumento muito importante para um debate nacional”, completou.

Por enquanto, nem o presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL), nem o presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ), se pronunciaram sobre a possibilidade de redução de salários de deputados e senadores.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Comitiva com líder da Universal tentou colocar Cunha na Petrobras em 1996

- Cunha abriu empresas de fachada para tentar ocultar contas, diz MP suíço

- CPMF é necessária para o Brasil, confirma ministro da Fazenda

- Acúmulo de salários pode voltar a valer em comissão dirigida por aliado de Cunha