COMPORTAMENTO

13 coisas que você deve saber sobre sua saúde quando chega à vida adulta

05/10/2015 10:22 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Quando você é criança, tudo é fácil. Você tem hora para cochilar. Pode comer biscoitos sem culpa. Talvez o benefício mais subestimado seja este: seus pais te levam para seus compromissos.

Mas, agora que você é considerado adulto (mesmo que não se sinta um), adeus aos tempos em que alguém se preocupava com suas consultas no dentista ou no médico. Seu bem-estar depende de você – e é importante estar com tudo em dia para manter a cabeça e o corpo saudáveis.

Eis 13 coisas que você deveria saber agora que está mais velho.

saúde

1. Seu tipo sanguíneo.

A? AB? O? Saber seu tipo sanguíneo significa saber da sua saúde. Estudos sugerem que certos tipos sanguíneos podem estar ligeiramente mais sujeitos a problemas de saúde, como doenças cardíacas, diz a Reader’s Digest. Não só isso: saber seu tipo de sangue é importante caso seu médico precise dessa informação.

2. Qual é seu exercício predileto.

Pilates? Ioga? Spinning? Não importa como você se exercita, o que importa é manter-se em atividade. O exercício ajuda a manter o corpo e a mente saudáveis. Pesquisas sugerem que movimentar-se – nem que seja uma simples caminhada – pode melhorar o humor, reduzir os riscos de doenças cardiovasculares, e mais.

3. O histórico médico da sua família.

Um mapa do histórico genético da sua família é essencial para você saber o que merece mais atenção. Sua avó teve câncer de mama? Seu tio teve problema de abuso de substâncias?

Toda informação é valiosa. Isso é especialmente verdade se você está se consultando com um médico pela primeira vez. Na primeira consulta, ele provavelmente vai perguntar se há histórico de câncer, doenças cardíacas ou mentais na família, então melhor estar preparado.

4. Um entendimento básico de suas pintas e de sua pigmentação.

Estima-se que este ano serão diagnosticados nos Estados Unidos cerca de 73 000 novos casos de melanoma, o tipo mais grave de câncer de pele, e os índices estão aumentando entre pessoas com menos de 40 anos.

Um dermatologista pode fazer um exame do seu corpo inteiro para se certificar de que tudo está em ordem. Quanto mais familiarizado você for com seu corpo, mais provável que você note algo fora do normal e procure um médico.

5. Fazer autoexame nos seios.

Os autoexames são a maneira mais fácil de identificar o câncer de mama nos estágios iniciais. A partir dos 20 anos, você deve checar regularmente se há nódulos ou algo que pareça anormal nos seios, segundo a Sociedade Americana do Câncer. (Isso vale tanto para mulheres como para os homens, pois o câncer de mama pode afetar os dois gêneros).

6. Suas alergias.

Não estamos falando só das reações alérgicas extremas a alguns tipos de comida, por exemplo. As alergias podem ter vários níveis. Além disso, você pode desenvolver alergias com a idade, então é melhor checar com seu médico para se certificar de que seu sistema imune não está sendo afetado pelo gato do seu companheiro de casa ou pelo pólen do ar.

Saber quais são os remédios, comidas e outros gatilhos que disparam reações alérgicas pode salvar vidas.

7. O que te acalma quando você está estressado (a).

Para algumas pessoas é uma corrida, para outras é ligar para a mãe. O que é melhor para você quando bate o estresse também é o que é melhor para o seu bem estar. Pesquisas sugerem que muito estresse pode levar a problemas cardíacos, entre outros.

Precisa de algumas ideias? Eis uma lista de truques para aliviar o estresse. .

8. Suas deficiências vitamínicas.

Você pode estar se sentido perfeitamente bem, mas ainda assim pode precisar de algo mais. Deficiências vitamínicas são coisa séria. Por exemplo, a falta de ferro pode ser sinal de anemia, e baixos índices de vitamina D já foram associados a problemas de saúde mental.

Consulte seu médico para se certificar de que você está ingerindo a quantidade recomendada de vitaminas, idealmente nas refeições. Se não, um suplemento pode ser uma boa ideia.

9. Um bom médico.

Bater o santo” é essencial quando se trata de achar um médico em quem você confie. Se isso não acontecer, melhor continuar procurando (afinal de contas, a ideia é ir ao médico, não evitá-lo). E isso vale não só para clínicos gerais – o mesmo se aplica a terapeutas, ginecologistas, dentistas e assim por diante.

10. Sua sensibilidade a certos alimentos.

Ter reações adversas a cafeína pode parecer uma praga, mas você deveria saber que certos tipos de componentes podem influenciar seu bem estar ou seu comportamento. Isso também vale para o álcool. Os anos de faculdade não podem durar para sempre (infelizmente) – é hora de entender seus limites.

11. Um entendimento básico do seu plano de saúde.

Tire um tempo para entender bem as regras básicas do seu plano de saúde. Isso vai facilitar sua vida na hora de procurar um médico e saber quais são seus direitos.

12. Que vacinas você tomou.

Esperamos que a reposta seja “todas”. É importante que você e seu médico conheçam seu histórico de vacinação. Doenças como meningite podem ser fatais para adultos, mas são evitáveis com uma vacina.

13. Quanto sono seu corpo precisa.

No mínimo, você deveria dormir de sete a nova horas por noite, mas cada corpo é um corpo. E quando você vai para a cama também é importante. Você precisa estar deitado às 22h para estar dormindo às 11h? Então tente manter essa rotina.

No fim das contas, você sabe melhor que ninguém como seu organismo funciona. Está em sintonia com sua mente e seu corpo? Isso é ser adulto.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: