NOTÍCIAS

Papa abre Sínodo pedindo por Igreja acolhedora, mas nega casamento gay

04/10/2015 11:09 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
AP

O papa Francisco reafirmou neste domingo a oposição católica ao casamento gay na abertura de um encontro de três semanas de bispos de todo o mundo, mas disse que a Igreja precisa demonstrar amor e compreensão para todos.

Francisco presidiu uma missa solene na Basílica de São Pedro para abertura do evento, conhecido como sínodo, com o tema da família no mundo moderno.

A preparação para o sínodo, no entanto, na qual participaram cerca de 300 bispos e outros delegados, foi dominada por temas gays.

Na véspera do encontro, o Vaticano dispensou um padre polonês de seu trabalho na Santa Sé após ele ter se assumido gay e pedido por mudanças nos ensinamentos católicos contra a atividade homossexual.

Católicos conservadores realizaram uma conferência em Roma logo antes do início do sínodo sobre como homossexuais podem viver pelas regras de castidade da Igreja enquanto os ativistas católicos gays realizaram outra conferência demandando total aceitação de ativistas gays na Igreja.

Francisco dedicou um terço da sua homilia ao tópico do amor entre homem e mulher e seu papel de procriação.

"Esse é o sonho de Deus para sua amada criação: vê-la na união amorosa entre um homem e uma mulher, regozijando-se em sua jornada compartilhada, fecunda em sua doação mútua", disse ele.

Franciso também falou do "real significado do casal e da sexualidade humana nos planos de Deus", uma clara referência ao casamento heterossexual.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: