NOTÍCIAS

ONU condena ataque a Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão: 'Injustificável, trágico e possivelmente criminoso'

03/10/2015 16:20 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Divulgação/MSF

A ONU divulgou uma nota de pesar pelo ataque a um hospital dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) no Afeganistão, que deixou mortos e feridos neste sábado (3) na cidade de Kunduz.

"Nossos corações se voltam para o MSF e todas as vítimas dos bombardeios na clínica de Kunduz", diz o comunicado divulgado nas redes sociais.

O alto comissário para direitos humanos da ONU, Zeid Ra'ad Al Hussein, determinou que ocorra uma investigação "rápida, completa e transparente" do ataque.

"Esse episódio é completamente trágico, injustificável e possivelmente criminoso", afirmou o comissário. Ele continuou:

"Os responsáveis pelo planejamento militar afegão e internacional têm a obrigação de respeitar e proteger civis a qualquer tempo. Equipes e unidades médicas são objeto de uma proteção especial. Essas obrigações se aplicam sempre, não importa que forças aéreas estejam envolvidas — e independentemente da localização."

Agências internacionais afirmam que Zeid Ra'ad também levantou a bola de que esse atentado pode ser enquadrado como crime de guerra. "A gravidade desse episódio é reforçada pela possibilidade de, considerado como deliberado pela Justiça, o bombardeio de um hospital pode ser crime de guerra."

A ONU ressalta que a investigação sobre a motivação do ataque deve ser "imparcial".

"Esse incidente profundamente chocante deve ser investigado prontamente, em detalhe e de forma independente. E os resultados devem ser levados a público", disse o alto comissário.

hospital

Conflito

O MSF havia informado às tropas afegãs e americanas e aos insurgentes talibãs que na área do ataque havia um hospital humanitário.

De acordo com a organização, os bombardeios ainda continuaram por mais 30 minutos, mesmo após as forças do governo terem sido informadas de que um posto médico havia sido atingido.

Pelo menos 19 pessoas morreram, incluindo 12 médicos, quatro pacientes adultos e três crianças.

As vítimas com complicações foram transferidas para um hospital em Puli Khumri, a duas horas do local dos bombardeios.

Ainda há pessoas desaparecidas.

Os confrontos entre forças dos EUA e Afeganistão contra insurgentes talibãs se intensificaram nos últimos dias.

As tropas estão tentando expulsar os militantes do controle da capital dessa província ao norte do país.

Os talibãs conseguiram tomar Kunduz no início da semana, naquela que foi considerada "a maior vitória" nessa insurgência de quase 14 anos.

Bombardeio em hospital do Afeganistã

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: