NOTÍCIAS
02/10/2015 16:55 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Justiça manda Walmart indenizar funcionário que foi proibido de ir ao banheiro durante expediente

FIickr/Getty Images

Um operador de caixa do supermercado Big, de Santa Catarina, que pertence ao gurpo Walmart, vai receber indenização de R$ 10.000 por ter sido impedido de ir ao banheiro durante o expediente de trabalho, mesmo alegando estar doente.

A decisão é da 8ª Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST). Após ser condenada em primeira e segunda instância, a empresa recorreu ao TST, que manteve a decisão do pagamento de indenização por dano moral ao funcionário.

Na ação, o operador de caixa alegou que foi proibido de deixar o posto para ir ao banheiro durante o expediente. Durante três meses, ele passou pelo constrangimento de ter de vomitar dentro de sacos plásticos na frente dos clientes, por não poder ir ao banheiro.

Ainda segundo o reclamante, seus superiores diziam que ele estava fazendo "corpo mole" e só se convenceram do problema de saúde do rapaz quando ele foi diagnosticado com meningite viral.

O Walmart contestou as informações, mas não conseguiu provar que isso não havia acontecido. As imagens do circuito interno, que comprovariam a versão da empresa, não foram gravadas.

Nas primeiras instâncias, a empresa havia sido condenada a pagar R$ 50.000, mas a relatora e ministra do TST, Dora Maria da Costa, baixou a indenização para R$ 10.000, por achar que o valor anterior era "desproporcional."

Procurado pelo Brasil Post, o grupo Walmart afirmou que "repudia incondicionalmente qualquer comportamento abusivo" e está comprometido com "os valores da ética, integridade, diversidade e respeito ao individuo".

Em nota, a empresa ainda afirma que cumprirá com a decisão judicial.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: