NOTÍCIAS
11/09/2015 16:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Monarca com reinado mais longo da Grã Bretanha, Elizabeth 2ª fez seu primeiro discurso sobre um tema bem atual: Os refugiados

AP Photo

Nesta semana, a Rainha Elizabeth 2ª se tornou a monarca a ocupar o trono britânico por mais tempo na história. A última quarta-feira (9), foi dia da Inglaterra celebrar e também resgatar importantes momentos da vida da rainha, como seu primeiro discurso, proferido em 1940.

Sua fala, de 75 anos atrás, era uma mensagem de solidariedade e compaixão com as crianças migrantes e, apresar de tanto tempo depois, é uma mensagem atual, que poderia servir para os milhares de refugiados que hoje fogem da Síria.

Quando tinha apenas 14 anos, a então princesa Elizabeth discursou para as crianças do Reino Unido, que deixaram suas casas para escapar dos perigos da Segunda Guerra Mundial. O discurso foi transmitido em um programa infantil da rádio BBC, Children’s Hour.

Uma jovem Elizabeth dizia para milhares de crianças que deixaram as nações da Commonwealth para escapar das ameaças alemãs e dos bombardeios, que "não se esqueceria" delas.

elizabeth


OUÇA O PRIMEIRO DISCURSO DE ELIZABETH:

Além de serem enviadas para as cidades do interior da Grã-Bretanha, milhares de crianças também foram para países como os Estados Unidos, a Austrália e o Canadá.

Embora a situação delas tenha sido muito diferente dos milhões de crianças forçadas a deixar a Síria - as crianças britânicas foram evacuadas antes dos bombardeios começarem e era pouco provável que elas buscassem proteção internacional dos países para onde tinham sido enviadas - o discurso da jovem princesa fala sobre a comovente situação dos jovens que buscam uma nova casa quando seus países não são mais seguros.

A futura rainha compartilha sua empatia com as crianças que tiveram que viajar milhares de quilômetros e que, de acordo com ela, devem estar "muitas vezes pensando no Velho País".

"Nós não esquecemos de vocês", diz, afirmando que as crianças que ficaram na Grã-Bretanha estão "cheias de alegria e coragem" apesar de terem que enfrentar a guerra.

"Milhares de vocês tiveram que deixar as suas casas e serem separados de seus pais e suas mães", disse a princesa, falando em um microfone com sua irmã mais nova, Margaret, ao seu lado.

"Minha irmã Margaret Rose e eu sentimos muito por vocês pois nós sabemos, por experiência, o que significa estar longe de quem mais amamos."

Elizabeth deseja às crianças "boa sorte" e diz que quando a guerra finalmente acabar elas devem se lembrar que as crianças de hoje farão "do mundo de amanhã um lugar melhor e mais feliz."

O primeiro-ministro britânico, David Cameron se comprometeu nesta semana a abrigar, até 2020, 20 mil crianças sírias refugiadas, mas foi pressionado pelos críticos a aumentar o número.

Judith Dennis, gestor de políticas do Conselho de Refugiados, disse: "o primeiro discurso da princesa Elizabeth mostrou compaixão e empatia com as crianças britânicas que tiveram que deixar suas casas e viajar em busca de segurança, sentindo saudade de sua terra natal e dos seus entes queridos."

"Essa situação é muito parecida com a que enfrentam muitas crianças hoje, vindas de países como a Síria. Felizmente vemos mensagens de solidariedade vindas das pessoas neste país. A maioria delas não pode sequer imaginar os perigos que estas crianças têm enfrentado."

A futura rainha assegurava aos seus jovens ouvintes que: "Todos nós, crianças, que ainda estamos aqui, pensamos continuamente nos nossos amigos e nas amizades que saíram do país - que viajaram milhares de milhas para encontrar um lar em tempos de guerra e uma gentil recepção no Canadá, na Austrália, na Nova Zelândia, na África do Sul e nos Estados Unidos da América."

"Minha irmã e eu achamos que sabemos muito sobre estes países. Nossos pais tantas vezes nos falaram das suas visitas a diferentes partes do mundo. Portanto, não é difícil imaginar o tipo de vida que vocês estão levando e pensar em todos os novos cenários que vocês devem estar vendo e as aventuras que vocês devem estar vivendo. "

"E é porque nós não estamos esquecendo de vocês que eu quero, em nome de todas as crianças que ficaram, enviar todo o nosso amor e melhores desejos - para vocês e seus queridos anfitriões".

"Nós sabemos, cada um de nós sabe, que no final tudo dará certo", diz Elizabeth 2ª aos ouvintes, que incluem também as crianças retiradas das cidades no Reino Unido para o campo.

Os grupos financiados pelo governo como o Children's Overseas Reception Board (CORB) ajudaram a transportar as crianças para fora do país, quando se pensava que a invasão da Alemanha de Hitler seria iminente. O movimento foi o maior da história da Grã-Bretanha: três milhões de crianças foram levadas para a zona rural e para o exterior.

Muitas comparações foram feitas entre a atual crise de refugiados e a migração no período da Segunda Guerra Mundial, incluindo um similar compromisso da Grã-Bretanha com os refugiados no programa Kindertransport que recebeu 10.000 refugiados judeus no Reino Unido em apenas poucos meses na década de 1930.

Leia o discurso completo da princesa Elizabeth de 1940 no CHILDREN'S HOUR BROADCAST:

Desejando a todos vocês boa noite eu sinto que eu estou falando com amigos e companheiros que têm compartilhado com a minha irmã e comigo muitas horas felizes no [programa] Children's Hour.

Milhares de vocês neste país tiveram que deixar as suas casas e serem separados de seus pais e suas mães. Minha irmã Margaret Rose e eu sentimos muito por vocês. Nós sabemos, por experiência, o que significa estar longe de quem mais amamos.

Para vocês, que vivem em novos lugares, enviamos uma mensagem de verdadeira solidariedade e, ao mesmo tempo, gostaríamos de agradecer essas pessoas de bom coração que acolheram vocês em suas casas, nos seus países.

Todos nós, crianças, que ainda estamos aqui, pensamos continuamente nos nossos amigos que saíram do país - que viajaram milhares de quilômetros para encontrar um lar em tempos de guerra e uma gentil recepção no Canadá, na Austrália, na Nova Zelândia, na África do Sul e nos Estados Unidos da América.

Minha irmã e eu achamos que sabemos bastante sobre estes países. Nossos pais tantas vezes nos falaram das suas visitas a diferentes partes do mundo. Portanto, não é difícil imaginar o tipo de vida que vocês estão levando e pensar em todos os novos cenários que você deve estar vendo e as aventuras que você deve estar vivendo.

Mas tenho certeza de que vocês também estão muitas vezes pensando no Velho País. Eu sei que vocês não vão esquecer de nós; e é porque nós não estamos esquecendo de vocês que eu quero, em nome de todas as crianças que ficaram, enviar todo o nosso amor e melhores desejos - para vocês e também para os seus queridos anfitriões.

Antes de terminar eu posso dizer sinceramente a todos vocês que nós, as crianças que ficaram em casa, estamos cheios de alegria e coragem. Nós estamos tentando fazer tudo o que pudermos para ajudar os nossos valentes marinheiros, soldados e aviadores, e estamos tentando, também, suportar o perigo e a tristeza da guerra.

Sabemos, cada um de nós, que no fim tudo dará certo; pois Deus cuidará de nós e nos dará a vitória e a paz. E quando a paz vier, lembrem-se que será para nós, as crianças de hoje, que faremos do mundo de amanhã um lugar melhor e mais feliz.

Minha irmã está ao meu lado e nós duas daremos agora boa noite para vocês.

Vamos lá, Margaret.

Boa noite, crianças.

Boa noite e boa sorte para todos vocês.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: