NOTÍCIAS
09/09/2015 21:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Vereadores de São Paulo aprovam projeto que proíbe o Uber

GABRIELA BILó/ESTADÃO CONTEÚDO

Por 43 votos favoráveis, 3 contrários e 5 abstenções, a Câmara dos Vereadores aprovou o projeto de lei que torna irregular a utilização de aplicativos de carona remunerada, atendendo a reivindicação dos taxistas que entraram em uma guerra contra o Über.

Do lado de fora do legislativo paulistano, milhares de motoristas que desde as 9 horas ocupam um trecho entre a Praça da República e a Avenida Brigadeiro Luís Antonio comemoram com palavras de ordem e ofensas contra o aplicativo.

Uma grande queima de fogos com mais de 10 mil tiros financiada por taxistas, sindicatos da categoria e o vereador Adilson Amadeu (PTB), autor do projeto. Amadeu deslocou assessores para acender os pavios - iluminou as ruas do centro da capital paulista.

"Não sou taxista, não. Me mandaram aqui só pra 'tacar' fogo no pavio", disse um desses assessores. Alguns motoristas choraram de emoção, como é o caso de Marcelo Santana, de 43 anos. "Isso aqui foi uma batalha e competir com o Uber estava cada vez mais perigoso para eles", disse.

"Meu dinheiro fica aqui no Brasil para pagar meus gastos com o carro e impostos. O deles vai para os Estados Unidos e volta limpo. Isso aí é lavagem de dinheiro", contou.

Apesar da aprovação, o projeto conta com uma emenda apresentada pelo líder do governo, Arselino Tatto, a pedido do prefeito que prevê a possibilidade de estudos para regulamentar aplicativos como o Uber.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: