NOTÍCIAS
01/09/2015 17:25 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

PF vai investigar tucano que ameaçou decapitar a presidente com foice e martelo

Montagem/Facebook/Estadão Conteúdo

O ex-candidato a deputado federal pelo PSDB do DF, Matheus Sathler, vai ser investigado pela Polícia Federal pelas ameaças que fez à presidente Dilma Rousseff. Em um vídeo publicado no Facebook e no Youtube, Matheus diz que o grupo contra a presidente, do qual ele faz parte, vai “arrancar a cabeça” da mandatária com “foice e martelo” e fazer um memorial na Praça dos Três Poderes.

No vídeo, Matheus diz que a presidente tem até às 23h59 de 6 de setembro para “renunciar, fugir do País ou cometer suicídio”.


“Caso contrário, como anunciado, dia 7 de setembro, nós não vamos pacificamente para as ruas. Vamos com as forças armadas populares do Brasil defender o povo brasileiro e te tirar do poder. O povo brasileiro está cansado de ser escravizado por você, escravocrata de impostos.

Você que implementou a ditadura comunista de Cuba. Pegou em armas para fazer a mesma coisa no Brasil e foi derrotada. Será derrotada mais uma vez, assuma o seu papel, tenha humildade para sair do nosso País porque, caso contrário, o sangue vai rolar e não de inocentes.

Vamos fazer um memorial na Praça dos Três Poderes, um poste de cabeça para baixo. Com foice e com o martelo, nós vamos arrancar a sua cabeça, pregar e fazer um memorial para você.”

Matheus acrescenta na gravação que isso “não é uma ameaça nem aviso porque quando o povo agir não vai ter outra saída". E finaliza pedindo a divulgação da informação e que "Deus traga paz a nossa nação".

Em nota, o Ministério da Justiça informou que decisão do chefe da pasta, José Eduardo Cardozo, de pedir a abertura da investigação foi encaminhada ao Diretor-Geral da Polícia Federal. "As medidas legais serão aplicadas ao caso para que, realizada a investigação policial, possam ser tomadas as sanções penais cabíveis."

Polêmicas

Esta não é a primeira polêmica que o tucano se envolve. Nas eleições do ano passado, ele publicou um vídeo defendendo a criação do “kit macho”e do “kit fêmea” para prevenir a homossexualidade. Ele também prometeu doar metade do salário, caso eleito, para combater e recuperar crianças vítimas do estupro pedófilo-homossexual.

Expulsão

Em nota, o PSDB reagiu aos comentários do tucano. O presidente nacional do partido, senador Aécio Neves, disse que vai solicitar ao Conselho de Ética do partido a abertura de um processo disciplinar contra Matheus com o objetivo de expulsá-lo do partido.

As manifestações do ex-candidato foram consideradas violentas e, segundo o senador, "não condizem com o que prega o programa do PSDB nem estão em sintonia com o que se espera de um filiado ao partido".

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: