NOTÍCIAS
24/08/2015 10:47 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:24 -02

Filha de Eduardo Cunha detém contas de pelo menos três aliados do pai desde que ele assumiu a Câmara dos Deputados

Montagem/Facebook e Estadão Conteúdo

A publicitária Danielle Cunha, de 28 anos, filha do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), assumiu as contas de assessoria e divulgação de pelo menos três parlamentares desde que o pai passou a presidir a Casa. Coincidentemente, todos são aliados do peemedebista. O montante pago à empresa ligada a ela chega a R$ 102,6 mil.

De acordo com reportagem do jornal O Globo deste domingo (23), estão na lista de clientes de Danielle os deputados Hugo Motta (PMDB-PB) – presidente da CPI da Petrobras –, André Fufuca (PEN-MA) – sub-relator na CPI do BNDES – e Danilo Forte (PMDB-CE). Todos têm acordos com a Popsicle Digital Flavours, empresa para a qual a filha de Cunha diz trabalhar.

O montante maior vem de Motta, que já pagou R$ 50 mil pelos serviços de assessoria. Já Fufuca pagou R$ 27,6 mil, enquanto Forte desembolsou R$ 25 mil. Os três parlamentares negaram, em entrevista ao jornal fluminense, que Cunha tenha exercido qualquer influência para que os serviços da filha fossem contratados. O próprio presidente da Câmara alegou, via assessoria, que Danielle “é uma profissional com qualificação reconhecida”.

Ao Globo, Danielle explicou que tipo de trabalho presta aos parlamentares. “Atuo na linha de frente. Recebo salário e prospecto trabalhos”, comentou, dizendo ainda que o fato do pai ser presidente da Câmara até “pode atrapalhar”. E defendeu o seu currículo. “Tenho cinco empresas na área de internet e dez anos de experiência. Meu currículo diz por si só. É aprovado no mercado”.

Em uma rede social, Danielle se apresenta como 'estrategista e diretora de campanha' desde novembro de 2014, quando trabalhou na coordenação dos trabalhos que levaram à eleição do seu pai à presidência da Câmara.

A filha de Cunha negou ainda que os valores pagos pelos deputados venham de suas respectivas cotas parlamentares, ao contrário do que afirma o jornal. Em junho deste ano, ao jornal Folha de S. Paulo, Hugo Motta (acusado de ‘blindar’ Cunha na CPI da Petrobras) informou “pagar do próprio bolso” uma quantia mensal de R$ 3,5 mil.

Ainda ao jornal paulista, Danielle afirmou estar de olho nas eleições de 2016. “Tem muita gente que me procura pensando já na campanha de prefeitura. E aí eu entro com diagnóstico”, revelou a filha do presidente da Câmara, que disse ainda se inspirar no marqueteiro do PT, João Santana. “Sou ambiciosa como o meu pai. Mas meu pé está no chão, preciso comer muito arroz com feijão”.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


LEIA TAMBÉM

- Emparedado, Eduardo Cunha ensaia mudança de atitude no comando da Câmara

- Saiba detalhes do suposto encontro em que Cunha cobrou R$ 5 milhões em propina

- 'Não há menor possibilidade de eu deixar o comando da Câmara', diz Cunha

- 'Cunha, guerreiro do povo brasileiro': Deputado é defendido por sindicalistas