ENTRETENIMENTO

6 vezes em que Charlize Theron provou ser uma feminista fodona

24/08/2015 18:36 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Que ano incrível para Charlize Theron.

A atriz sul-africana, que há tempos fala sobre os direitos das mulheres, completou 40 anos no início de agosto.

Ela já foi muito elogiada por interpretar Imperator Furiosa em “Mad Max: Estrada da Fúria”.

Para o papel, ela raspou a cabeça, fez intensos treinamentos físicos e passou meses morando numa área remota da Namíbia.

E, em entrevistas recentes, ela tem falado muitas verdades sobre feminismo, a representação das mulheres nos filmes de Hollywood e o pagamento igualitário para ambos os sexos.

Veja seis dos seus melhores momentos feministas no último ano:

Quando ela denunciou a diferença de salários entre homens e mulheres

charlize theron

Quando os emails vazados da Sony mostraram a diferença nos salários de homens e mulheres em Hollywood, Theron teria insistido para receber o mesmo que Chris Hemsworth no filme “The Huntsman” (ainda não lançado).

Quando ela lembrou as meninas que é incrível ser feminista

mensagem para as meninas

Em entrevista para a edição de junho da revista Elle, Theron explicou por que o feminismo é fundamental para acabar com a discrepância entre os salários de homens e mulheres – e por que temos de ensinar para as meninas o que realmente significa ser feminista.

“É um bom momento para buscarmos justiça, e as meninas precisam saber que é bom ser feminista”, disse Theron. “Não significa que você odeia os homens. Significa direitos iguais. Se você faz o mesmo trabalho, deveria receber a mesma quantia e ser tratada da mesma maneira.”

Quando ela explicou que “mulheres são tão complexas e interessantes quanto os homens”

complexidade feminina

Numa entrevista realizada no Festival de Cannes, Theron deu a resposta perfeita para uma pergunta sobre o feminismo de “Mad Max”:

“Sabe o que acho a coisa mais poderosa [do filme]? Acho que [o diretor George Miller] não tinha uma agenda feminista oculta, e é isso o que dá força à história. Especialmente como as mulheres são representadas. É muito verdadeiro, e o aplaudo por isso. Acho que, quando usamos a palavra ‘feminismo’, as pessoas ficam meio loucas, como se nos colocassem num pedestal ou algo parecido. George tem essa compreensão inata de que as mulheres são tão complexas e interessantes quanto os homens, e estava realmente interessado em mostrar isso. Acho que, nessa busca da verdade, ele fez um filme feminista incrível.”

Quando ela criticou a visão de Hollywood sobre o envelhecimento

Em entrevista para a edição de agosto da revista W, Theron explicou que não está nem aí para o que as pessoas pensam dela, agora que está envelhecendo.

“Como muitas outras, acho que julgava as mulheres quando elas envelheciam”, disse ela

envelhecimento

“Como muitas outras, acho que julgava as mulheres quando elas envelheciam”, disse ela. “Na nossa sociedade, as mulheres são compartimentadas. É como se elas fossem flores que começam a murchar depois de cortadas. Agora percebo que não é assim – podemos celebrar todas as idades. Esse é meu incentivo para as meninas de 20 anos que têm medo de envelhecer: não tenham um ataques de nervos e segurem a onda no vinho branco. Envelhecer não é tão ruim assim.”

Quando ela falou sobre os papeis limitados para as mulheres nos filmes de Hollywood

atuação em hollywood

Numa entrevista em maio para o jornal The Guardian, Theron falou sobre como as mulheres acabam restritas a dois tipos de papeis no cinema:

“Ou você é uma mãe incrível, ou uma prostituta incrível”, disse ela. “O problema da representação das mulheres no cinema é essa ambiguidade entre o complexo de mãe/prostituta. Não dá para ser uma boa mãe-prostituta. É impossível.”

“As mulheres florescem sendo várias coisas diferentes. Podemos ser claras ou obscuras, como os homens. Somos mais que mães, mais que reprodutoras, e temos os mesmos conflitos.”

Quando ela explicou por que era importante parecer fisicamente forte em “Mad Max”

ser forte

Numa entrevista ao The Telegraph, em maio, Theron falou sobre seu treinamento para “Mad Max” e por que era fundamental parecer fisicamente forte no filme.

“Não sou fã de meninas pequenas fingindo ser duronas. Não me convence”, disse ela. “E odeio os momentos em que aqueles bracinhos dão porrada num cara quatro vezes maior. Não dá para acreditar.”

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.