NOTÍCIAS

Tailândia revela imagens do suspeito de atentado em Bangcoc

18/08/2015 11:17 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
AP Photo

A polícia tailandesa divulgou nesta terça-feira (18) imagens de câmeras de segurança que mostram o suspeito de ter cometido o atentado na segunda-feira (17) em um templo do centro de Bangcoc, que deixou pelo menos vinte mortos e mais de 120 feridos.

A polícia revisou o balanço anterior de 21 mortos e anunciou que vinte pessoas morreram no atentado com bomba contra o santuário de Erawan, na área central de Chidlom. Entre os mortos estão oito turistas, da China, Hong Kong, Indonésia, Malásia e Cingapura.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas as autoridades suspeitam das facções políticas rivais no reino, que é governado por uma junta militar há 15 meses. "Estamos procurando um homem que integraria um grupo extremista e seria natural do nordeste do país", afirmou Prayut Chan-O-Cha, chefe da junta militar e atual primeiro-ministro. "Este ataque foi o pior cometido contra o reino e teve como alvos pessoas inocentes", completou. O suspeito mostrado nas imagens aparenta ter menos 30 anos estava vestindo uma camiseta amarela e óculos escuros. Ele também carregava uma mochila.

O nordeste da Tailândia é o reduto do movimento dos Camisas Vermelhas, partidários do governo anterior, destituído em um golpe militar em maio de 2014 depois de vários meses de manifestações.

"A bomba tinha o objetivo de matar o maior número possível de pessoas, já que o santuário fica lotado entre as 18h00 e as 19h00", disse o porta-voz da polícia, Prawut Thavornsiri. De acordo com o porta-voz, a bomba, detonada às 18h30 locais, provavelmente continha três quilos de explosivos.

As autoridades tailandesas acreditam que os alvos eram os estrangeiros e que os autores pretendiam "prejudicar o turismo", um dos poucos setores da economia tailandesa com bons resultados. Nesta terça-feira (18), a cotação da moeda tailandesa, o baht, registrava forte queda e a Bolsa de Bangcoc operava em baixa, com os investidores preocupados com as consequências do atentado.

O local do atentado é um santuário consagrado ao deus hindu Brahma, que também atrai milhares de budistas todos os dias.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: