NOTÍCIAS
12/08/2015 12:03 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Sem dinheiro para pagar acomodação em Genebra, estagiário da ONU acampa em frente à organização

Trabalhar na Organização das Nações Unidas é um sonho para jovens espalhados por todo o mundo. Já imaginou, ganhar uma vaga para trabalhar em Genebra, uma cidade incrivelmente cara? E já imaginou, se o trabalho é 100% voluntário?

David Hyde, jovem da Nova Zelândia, conseguiu a oportunidade de estagiar na sede da organização, na Suíça. Sem dinheiro para pagar estadia, no entanto, ele improvisou uma solução: vive acampado perto do local onde trabalha.

A história do jovem, acampado há duas semanas, foi revelada pelo jornal Tribune de Genève. Ao periódico, ele contou que a maioria de seus colegas é sustentado pelos pais, que tem melhores condições financeiras.

"Ultimamente, apenas jovens cujos pais podem pagar [as despesas] têm uma chance", afirmou. A maioria dos estágios da ONU não oferece remuneração, auxílio para alimentação, transporte ou despesas médicas.

Pós-graduado em Relações Internacionais, Hyde pretende ficar seis meses na cidade. "Talvez eu tenha sido ingênuo em vir. Essa política [de estágios não remunerados] me deixa furioso. No entanto, se eu for embora antes do tempo, não vou ganhar meu certificado", contou ao Tribune.

O modelo de estágio não-remunerado é adotado pela maioria das organizações internacionais, e também é alvo de críticas. De acordo com um ex-estagiário da organização ouvido pelo News.com.au, o visto cedido pelo governo suíço não permite que os estagiários da ONU consigam outro trabalho para ganhar dinheiro.

Um porta-voz da organização disse ao Tribune que a ONU emprega 162 estagiários por ano, e cabe a cada agência definir sobre o esquema de remuneração.

De acordo com o Washington Post, recentemente, alguns estagiários da ONU organizaram uma marcha por Genebra para protestar contra os estágios não-remunerados, alegando que a falta de pagamento configura como uma violação da Declaração dos Direitos Humanos.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: