NOTÍCIAS
12/08/2015 14:55 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Mais alívio para Dilma: TCU amplia prazo para governo explicar as pedaladas fiscais

Montagem/Estadão Conteúdo

A presidente Dilma Rousseff ganhou mais um respiro em meio a crise política. O Tribunal de Contas da União vai fazer novos questionamento sobre as ‘pedaladas fiscais’. Se rejeitadas, as contas de 2014 poderão ser usadas pelos que querem que ela deixe o governo como motivo para embasar um pedido de impeachment.

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), desenterrou as contas de ex-presidentes como Fernando Henrique e Itamar Franco e agilizou a votação delas para deixar a pauta livre e poder fazer o julgamento político das contas da mandatária.

De acordo com a Folha de S.Paulo, a decisão de pedir mais informações sobre a manobra será anunciada pelo ministro do TCU Augusto Nardes. Ele solicitará novos esclarecimentos e o prazo de defesa pode ser de até 30 dias.

Esse novo cenário empurra o debate sobre impeachment para os próximos meses e permite que o clima esfrie. A expectativa anterior era de que o processo fosse julgado no tribunal em setembro e, imediatamente, encaminhado para o Congresso.

Em junho, o tribunal deu o primeiro prazo de 30 dias para o governo se explicar. Na época, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, usou como argumento favorável ao governo o fato de outros presidentes já terem usado esse artifício.

Para ele, a presidente pode, no máximo, ser alertada de que não poderá mais fazer manobras com recursos públicos.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: