ENTRETENIMENTO

Após gerar revolta nas redes sociais, 'Pânico na Band' diz que vai retirar personagem 'Africano' do ar

10/08/2015 19:18 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Reprodução

Após gerar revolta nas redes sociais, o programa Pânico na Band afirmou em resposta ao BuzzFeed que vai tirar o personagem "Africano" do ar.

“O Pânico em nenhum momento quis ofender ninguém, tanto que no quadro em que o personagem foi ao ar, o Pânico’s Chef, tem diversos outros personagens de diferentes etnias, japonês, nordestino, por exemplo, que preparam pratos típicos das regiões que moram, enfim, nenhum deles foi criado para ofender”.

Batizado de "Africano", o personagem é interpretado pelo humorista Eduardo Sterblitch, que é branco. De forma pejorativa, ele "recebe entidades", não se comunica de forma civilizada, e é tratado como um ser primitivo. Tanto que, na legenda de suas atribuições como cozinheiro quando fez parte da sátira de MasterChef, "planta e colhe" foram as descrições.

Assista ao vídeo:

O Africano do #PanicosChef (Eduardo Sterblitch) desafiou toda audiência a fazer uma dança que ninguém nunca viu igual. #DesafioAoAfricano (Veja o desafio completo no canal do #PanicoNaBand: https://www.youtube.com/watch?v=IByggmkh38c&index=3&list=PL6WV7ub_outEAFjOobVsj6zspZ1Bi9qUM)

Posted by Programa Pânico on Terça, 4 de agosto de 2015


O programa ainda lançou o "Desafio ao Africano", um convite aos espectadores e fãs do programa para fazerem uma dança mais exótica que a do personagem e usar a hashtag #DesafioAoAfricano para divulgá-la nas redes sociais.

Assim que o vídeo acima foi publicado no Facebook, sugiram inúmeras críticas:

comentário africano


comentário panico


comentário racista


Mas também teve gente que achou "normal":

racistas1


racista comentário2


Como forma de se organizar contra o programa, o evento "Repúdio ao racismo do personagem Africano no Pânico na Band" foi criado e já conta com 1.600 membros.

"Repudiamos a maneira nojenta em que retratam os povos da África a fim de intensificar o mito de que tudo que vem da Africa e todo seu povo não tem educação e merece gargalhadas de escárnio. Nós exigimos o fim deste quadro que não tem outro objetivo a não ser humilhar um povo e raça", afirmam os organizadores da página em texto de abertura do evento.

O SeneWeb, jornal de Senegal, publicou neste domingo (9), a seguinte postagem seguida de um vídeo do personagem: “O Brasil é um país racista? Vejam como eles riem dos africanos!”

jornal senegalês

Segundo a filósofa e pesquisadora Djamila Ribeiro, do blog "Escritório Feminista", o chamado "blackface" surgiu por volta de 1830, quando homens brancos se pintavam de preto - de forma caricata - e se apresentavam para a aristocracia branca com o objetivo de satirizar a população negra.

Ela afirma que a prática ganhou popularidade nos cinemas e televisão, como ferramenta de entretenimento cultural. O blackface “serve tanto como estereótipo racista quanto como forma de exclusão, porque se no primeiro caso ridiculariza, no segundo nega papéis a artistas negros", afirma.

ATUALIZAÇÃO:

A Band pediu desculpas. Afirmou que uma das características do programa Pânico é criar personagens, sejam eles inspirados em personalidades, profissões ou diferentes culturas.

“O Africano, interpretado pelo humorista Eduardo Sterblitch, é uma das caracterizações presentes no quadro Pânico's Chef, sátira do programa de culinária MasterChef. Neste mesmo quadro há (...) mexicanos, chineses, árabes", diz a emissora em nota.

O humorista Eduardo Sterblitch também pediu desculpas em sua página do Facebook.

Não sou Racista! E também estou chorando... A quem deixei triste ou pior, peço desculpas por minha IGNORÂNCIA ! Que, pelo menos, eu sirva de exemplo!Para que isso não aconteça mais.

Posted by Eduardo Sterblitch on Segunda, 10 de agosto de 2015

ATUALIZAÇÃO II:

Nesta quarta-feira (12), o ator removeu a publicação em que pedia desculpas de sua página no Facebook. Ele tinha escrito: "Não sou Racista! E também estou chorando... A quem deixei triste ou pior, peço desculpas por minha IGNORÂNCIA ! Que, pelo menos, eu sirva de exemplo!Para que isso não aconteça mais."

Ainda nesta quarta, a Comissão Nacional da Verdade da Escravidão Negra, ligada ao Conselho Federal da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), encaminhou uma denúncia à Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, órgão do governo federal, contra o personagem, a que chama de "afronta racial". As informações são da Veja.com.

A decisão de descontinuar Africano, interpretado por um humorista Eduardo Sterblitch vestido e pintado de preto, foi informada pela assessoria de imprensa da emissora.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: