NOTÍCIAS

Dieta radical de Bryce Harper para revista ESPN mostra que aparência também é um problema para os homens

07/08/2015 19:50 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

Uma vez por ano, a ESPN The Magazine, revista norte-americana dos canais ESPN, lança a “The Body Issue”, que destaca e celebra os corpos dos atletas em todas suas formas e tamanhos maravilhosos.

É empoderador e bonito, e muitas vezes as fotos desafiam as expectativas sobre que aparência os atletas de classe mundial “normais” deveriam ter.

Um dos destaques das capas deste ano, que foram publicadas em julho, é a arremessadora de martelo norte-americana Amanda Bingson.

Ela disse à revista que gosta “de tudo em [seu] corpo”. A atleta, que uma vez foi expulsa de seu time de vôlei do colégio por ser “muito gorda”, agora diz que aceita e ama seu corpo que, segundo ela, pesa entre 95 e 97 quilos.

“Você pode ser mais bonita e mais magra do que eu, mas eu chutaria seu traseiro em um jogo um contra um”, a atleta olímpica acrescentou.

Amanda Bingson na capa da Body Issue. Foto: Peter Hapak para ESPN The Magazine.

A confiança e beleza de Bingson despertaram enorme apoio, como deveria ser. Estava sendo ela mesma e permitindo que suas fotos simplesmente representassem quem ela é.

A história de Bingson torna ainda mais decepcionante ver um atleta como Bryce Harper, jogador de beisebol do Washington Nationals, detalhar ao jornal The Washington Post a severa e aparentemente perigosa dieta a que ele se submeteu para a sessão de fotos, o que deixou seu organismo “completamente esgotado” quando teve que posar para a câmera.

[A preparação de Harper] consistiu em três sessões de exercícios e seis refeições por dia, até não comer mais nada na semana final, quando Bryce Harper bebia apenas suco. Seis sucos naturais diferentes.

Nas últimas duas semanas, antes dele expor seus músculos aos fotógrafos da ESPN, colocou sal na água para que pudesse se hidratar sem ganhar peso.

No último dia, antes de tirar a roupa e mostrar os resultados para o mundo, Harper foi para a sessão de exercícios final, mas quando tomou água para se refrescar, a cuspiu.

Quando chegou no campo da Universidade de Nevada-Las Vegas para as fotos, seu organismo estava completamente esgotado.

Engoliu batatas brancas cruas, porque sabia que a glicose e glicina contidas nelas iriam diretamente para seus músculos — que ansiavam por algo, qualquer tipo de nutrição que pudessem encontrar.

“Faz com que você bombe”, disse Harper. “Faz com que você se destaque.”

Claro que os atletas treinam e submetem seus corpos a sacrifícios de esforço e nutricionais que muitos não poderiam – e não deveriam — fazer. Isso é o que os torna atletas profissionais. Mas saber que um atleta como Harper submeteu seu corpo a tudo aquilo para uma sessão de fotos, sinceramente, é alarmante.

Bryce Harper na capa da Body Issue. Foto: Peter Hapak para ESPN The Magazine.

Submeter seu corpo a esse tipo de rotina, que incluiu beber água salgada para evitar ganhar peso, vai contra tudo o que a Body Issue representa. Harper disse que seu objetivo quando fez o regime era derrubar a crença de que os jogadores de beisebol não têm o mesmo preparo físico ou a boa forma dos atletas de outros esportes. Mas cuspir água ou beber apenas suco não serve de exemplo para o que Harper de fato enfrenta na Liga de Beisebol dos EUA (MBL, sigla em inglês para Major League Baseball). Erra completamente o alvo.

E também está muito distante da atitude de Kevin Love, jogador de basquete do Cleveland Cavaliers, que disse que sua preparação foi apenas tomar um pouco de sol e manter sua dieta e exercícios de rotina. Ou da lutadora do UFC, Ronda Rousey, que se recusou a perder peso tanto para sua capa da Body Issue em 2012 quanto para as fotos da edição Swimsuit 2015 da Sports Illustrated.

Rousey, na verdade, deu um passo à frente dizendo que ela posa com seu “peso de caminhada”, reconhecendo que seria “pouco saudável” sair nas fotos com seu peso medido regularmente antes das lutas.

Harper parece ser um atleta cada vez mais preocupado com o corpo. Isso também pode ser resultado do fato de o jogador de beisebol ser constantemente questionado pelos repórteres sobre o assunto, mas ele já havia detalhado e comentado sobre sua dieta várias vezes antes e refutou críticas em 2014, depois de falar sobre o desejo de ganhar músculos.

A preparação de Harper para a Body Issue, antes de mais nada, mostra que os homens também estão sujeitos às inseguranças e pressão sobre a imagem do corpo, talvez ainda mais para quem está na posição de Harper, cujo corpo está diariamente sob escrutínio.

O corpo ideal ou perfeito é muitas vezes apresentado sob o prisma de como deveria ser a aparência das mulheres. No entanto, o foco é cada vez mais direcionado aos homens, e como eles enfrentam as pressões sobre a imagem do corpo. Os ideais podem ser diferentes — emagrecimento versus ganhar músculos —, mas os homens estão longe de estar imunes.

Um estudo divulgado ano passado revelou que cerca de 18% dos adolescentes do sexo masculino são extremamente preocupados com o peso e preparo físico. Além disso, a Associação Nacional de Transtornos Alimentares dos EUA disse que a porcentagem de homens com preocupações em relação à imagem do corpo mais do que dobrou nos últimos 30 anos, igualando-se à taxa identificada entre as mulheres.

No mês passado, a feminilidade de uma das maiores atletas de nossa geração, a tenista norte-americana Serena Williams, foi questionada devido à forma de seu corpo. Juntamente com a busca de Harper do que ele espera que a sociedade veja como padrão, isso mostra que mesmo o mundo dos esportes ainda tem muitas dificuldades em lidar com a imagem do corpo e com expectativas ultrapassadas sobre o que significa ter aparência de homem, mulher ou atleta.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: