MUNDO

Wagner Moura agora é embaixador da ONU contra o trabalho escravo

05/08/2015 16:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Dominique Charriau via Getty Images
BERLIN, GERMANY - FEBRUARY 11: Actor Wagner Moura attends the 'Praia do futuro' photocall during 64th Berlinale International Film Festival at Grand Hyatt Hotel on February 11, 2014 in Berlin, Germany. (Photo by Dominique Charriau/WireImage)

Wagner Moura foi nomeado embaixador contra o trabalho escravo pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), órgão das Nações Unidas. O ator colabora com a OIT desde 2013, quando apoiou a campanha “Cartão Vermelho contra o trabalho infantil”.

São 21 milhões de mulheres, crianças e homens são vítimas da escravidão moderna. Só na América Latina são 1,8 milhão de vítimas do trabalho forçado, de acordo com a OIT.

“[O trabalho escravo] é algo que me toca profundamente, porque cresci no interior do Brasil e vi como a pobreza força as pessoas a trabalharem em condições de exploração, de abuso”, comentou o ator em entrevista à página das Nações Unidas.

No ano passado, a Conferência Internacional do Trabalho da OIT incluiu o tráfico de pessoas e as práticas análogas à escravidão na sua pauta de luta global contra o trabalho forçado.

A primeira participação de Wagner Moura na nova função será a campanha 50 pela Liberdade, desenvolvida para conscientizar sobre o trabalho forçado. O objetivo é conseguir que mais nações ratifiquem os protocolos da Convenção sobre o Trabalho Forçado de 1930.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: