MULHERES

Ronda x Bethe: Quais são as apostas de quem manja tudo de UFC?

01/08/2015 11:07 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

ronda bethe

Mais um grande dia para os amantes do MMA. Desta vez, toda a atenção se volta para o embate entre a ultracampeã Ronda Rousey e sua desafiante, a paraibana Bethe Correia.

O clima nunca foi tão quente numa disputa entre mulheres na modalidade quanto neste UFC 190.

Na "encarada" do Media Day, a brasileira disse em alto e bom som, se aproveitando das câmeras e de uma agitada plateia: "Você vai tomar porrada".

Entre uma paparicada, um abraço ou um beijo aqui e uma selfie acolá, Ronda aproveitou a estadia no Rio de Janeiro para fazer pouco da desafiante: "Amanhã vocês verão minha melhor luta e a pior da Bethe".

Mas, e ao final do combate: quem sobrará de pé?

Ouvimos três especialistas no assunto. Eles traçam possíveis trajetórias no ringue. E cravam seus palpites:

Diego Ribas, repórter e sócio-diretor da AgFight

"Não é à toa que o favoritismo de Ronda Rousey nas bolsas de apostas nos EUA é o maior já visto na temporada 2015 para lutas no UFC. Em rápido apanhado, a ex-judoca sobra: 11 vitórias, dez delas no primeiro round, e superioridade contra todas as rivais, tanto em volume de golpes, quanto potência e domínio territorial. Do outro lado do octógono, a brasileira Bethe Correia, que tem menos de cinco anos como praticante de artes marciais, tem a força mental como grande virtude, fator que a fez chegar longe em tão pouco tempo e lhe permitiu surpreender nos momentos de adversidade para vencer os nove desafios que travou como profissional.

Neste sábado (1º), porém, o obstáculo deve ser maior do que suas habilidades podem suportar. Com passadas largas e pouca mobilidade lateral, o estilo boxeador de Beth deve ser um prato cheio para as precisas quedas da campeã, que carrega bagagem na luta de solo de dar inveja para qualquer rival, ainda mais contra uma praticamente iniciante no jiu-jitsu como a brasileira. Somado a isso, a desafiante ao cinturão dos pesos-galos (61 kg) não luta desde agosto de 2014 e carrega a inexperiência em duelos por títulos - Bethe nunca disputou um combate de cinco rounds - como pontos que devem pesar contra.

Coração, punch e o fator casa não devem ser o suficiente desta vez e, por isso, vou de vitória de Ronda ainda no primeiro round".

Claudia Castro Lima, editora da Revista VIP e titular do blog Clube da Luta VIP

"Não consigo nem encontrar adjetivos para tratar sobre a supremacia de Ronda Rousey. Para começar, é por causa dela que as mulheres lutam hoje no UFC. Foi depois de vê-la dominante no Strikeforce que Dana White se convenceu de que havia, sim, espaço para o MMA feminino na maior organização do planeta. Ronda, assim como Bethe, é invicta. Mas a americana já venceu os principais nomes de sua categoria sem sequer se ver em real apuro, como Cat Zingano, Miesha Tate e Alexis Davis (primeira, segunda e terceira colocadas no ranking dos pesos-galos, respectivamente), enquanto Bethe, que ocupa a sétima posição, nunca enfrentou uma top 5 – aliás, ela não enfrentou nenhuma atleta atualmente ranqueada no UFC.

Outra coisa a respeito de Ronda: ela nunca teve uma luta sua decidida pelos juízes. Sempre finalizou, especialmente com sua indefectível e indefensável chave de braço, ou nocauteou, calando os que diziam que sua trocação não era assim tão incrível. Suas lutas geralmente acabam no primeiro round (apenas uma, contra Miesha, foi até o terceiro), mesmo que suas adversárias saibam mais ou menos o roteiro: ela deve levar o combate para o chão e tentar seu golpe característico. Veja bem: não estou desmerecendo Bethe.

Apenas comparando o histórico das duas. Bethe, claro, é uma baita lutadora. Sua primeira luta profissional foi em 2012 – em menos de três anos, portanto, está disputando o cinturão, o que não é para qualquer uma.

Mas, na minha opinião, não há adversária à altura de Ronda em sua categoria. Por isso, ela vence Bethe Correia".

Igor Resende, repórter do ESPN.com.br

"Não é sem motivos que Ronda Rousey tem um dos maiores favoritismos da história diante de Bethe Correia. Não que a brasileira não tenha habilidade suficiente, mas ela não parece ainda ter armas para destronar a campeã. Bethe deve ter dificuldades até para apostar na trocação e ‘sentar a porrada’, como vem dizendo que quer fazer.

Ronda já mostrou que também tem poder de nocaute e, até mais importante que isso, tem um jogo muito justo e adaptado para o que faz de melhor. Ela sabe como ninguém soltar golpes para chegar no clinch e levar a luta para o chão. E, no solo, a americana deve levar muita vantagem contra Bethe, que é faixa-azul e deve usar o jiu-jitsu apenas defensivo.

A não ser que entre aquele famoso golpe único que acabe com a luta, Ronda deve levar até com certa facilidade. Minha aposta é em uma finalização, com a famosa chave de braço, ainda no primeiro round".

Apostas Brasil Post: Ronda 3 x 0 Bethe

ronda

bethe

A Globo exibirá quatro lutas ao vivo em TV aberta. A transmissão começa às 0h10, na virada do sábado para domingo. E promete não ter nenhum tipo de delay.

UFC 190

Card Principal - a partir de 23h (de Brasília)

Peso-galo: Ronda Rousey x Bethe Correia

Peso-meio-pesado: Mauricio Shogun x Rogério Minotouro

Final do TUF Brasil 4 peso-leve: Fernando Açougueiro x Glaico França

Final do TUF Brasil 4 peso-galo: Dileno Lopes x Reginaldo Vieira

Peso-pesado: Stefan Struve x Rodrigo Minotauro

Peso-pesado: Antônio Pezão x Soa Palelei

Peso-palha: Cláudia Gadelha x Jessica Aguilar

Card Preliminar - a partir de 20h (de Brasília)

Peso-meio-médio: Demian Maia x Neil Magny

Peso-meio-pesado: Rafael Feijão x Patrick Cummins

Peso-meio-médio: Warlley Alves x Nordine Taleb

Peso-galo: Iuri Marajó x Leandro Issa

Peso-médio: Vitor Miranda x Clint Hester

Peso-galo: Hugo Wolverine x Guido Cannetti

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: