COMPORTAMENTO

Câncer de mama masculino: tudo que você precisa saber

31/07/2015 17:35 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

man chest

O câncer de mama em homens é raro comparado com casos de câncer de mama em mulheres - cerca de 350 homens são diagnosticados a cada ano no Reino Unido, em comparação com cerca de 55 mil mulheres.

Mas é talvez por causa desta raridade que muitos homens podem erroneamente ignorar os sintomas do câncer de mama. Cerca de 75 homens morrem a cada ano da doença no Reino Unido.

"A taxa de sobrevivência é menor para homens do que para mulheres, mas isto geralmente é devido à falta de conhecimento dos sintomas e não porque o câncer é mais agressivo em homens", disse Jayne Molyneux, diretora de cuidados de saúde para o câncer no projeto Bupa ao HuffPost Reino Unido Lifestyle.

"Da mesma forma que acontece com outros tipos de câncer, um diagnóstico precoce é fundamental - quanto mais cedo acontecer maiores são as chances de um indivíduo conseguir uma recuperação completa."

Quais são os sintomas do câncer de mama masculino?

"Os sintomas mais comuns do câncer de mama em homens são a presença de nódulos", nos diz Catherine Priestley, enfermeira clínica especializada do Breast Cancer Care.

"Geralmente localizado próximo ao centro, perto do mamilo, porque a maioria do tecido mamário dos homens está abaixo dos mamilos. Mas esses caroços podem também aparecer fora dos mamilos.

"Outros sintomas incluem: secreção mamilar (muitas vezes manchadas de sangue), um mamilo invertido ou sensível ou ainda uma ulceração ou inchaço da área do peito.

"Entretanto, mesmo que não se encaixe nos sintomas acima, é importante que os homens informem sobre qualquer mudança que considerem anormal."

man chest

Quem corre risco de ter câncer de mama masculino?

De acordo com a organização Breakthrough Breast Cancer, qualquer homem pode sofrer de câncer de mama, mas existem algumas coisas que podem aumentar o risco de desenvolver a doença.

O risco de câncer de mama aumenta com a idade e homens com mais de 60 anos são mais propensos a serem diagnosticados com a doença.

Ter histórico familiar de câncer de mama também aumenta o risco em um indivíduo.

"Cerca de três ou quatro de cada 20 homens com câncer de mama herdaram os defeitos dos genes. Se você tem um forte histórico familiar de câncer de mama, é possível que você carregue esses genes defeituosos", explica o Breakthrough Breast Cancer.

"As pessoas que têm histórico de câncer de mama na família tendem a ter um número excepcionalmente elevado de parentes próximos (mãe, irmãs ou filhas) de um lado da família com câncer de mama e/ou parentes que desenvolveram câncer de mama quando eram mais jovens".

Qualquer pessoa que tenha passado por um tratamento de radioterapia no peito também pode sofrer maior risco, assim como qualquer um que já tenha tido câncer de próstata no passado.

Estudos recentes também sugerem que homens com altos níveis naturais do hormônio feminino estrogênio correm mais risco da doença do que outros homens.

O que você deve fazer se você descobrir sintomas de câncer de mama masculino?

Você deve visitar o seu médico ao notar um caroço na sua mama ou se você tiver problemas que afetam os seus mamilos – eles podem realizar testes para ver se estes são sintomas de câncer de mama.

Quais são os tratamentos existentes para o câncer de mama masculino?

"O tratamento para o câncer de mama masculino é muito similar ao de câncer de mama feminino e podem incluir cirurgia, quimioterapia ou radioterapia. O tratamento realmente varia dependendo do caso", diz Molyneux.

"Enquanto os homens que têm câncer de mama podem não ter que enfrentar o mesmo grau de reconstrução, eles podem ser muito afetados por problemas de imagem corporal e isso pode afetar os seus relacionamentos.

"Eles devem ser incentivados a procurar ajuda e apoio sobre como viver com os efeitos colaterais do câncer de mama."

Como você pode reduzir o risco do câncer de mama?

Beber álcool com moderação, manter o peso saudável e ter uma dieta saudável podem reduzir bastante o risco de câncer de mama.

(Tradução: Simone Palma)

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost UK e traduzido do inglês.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: