NOTÍCIAS

Maioria dos infectados por hepatite C não sabe que tem a doença

28/07/2015 23:16 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02
Sebastian Kaulitzki

Um novo levantamento divulgado nesta terça-feira mostra que 60% dos brasileiros com hepatite C estão sem diagnóstico da doença. A pesquisa foi encomendada pela Sociedade Brasileira de Hepatologia e pela Sociedade Brasileira de Infectologia e realizada pelo instituto Datafolha. A divulgação ocorre no Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais.

Segundo a pesquisa, 36% das pessoas acreditam que a doença é transmitida no ato sexual -- o que é considerado raro. O estudo mostrou ainda que 18% reconhecem que não sabem como a doença é contraída. Estima-se que sejam 2 milhões de pessoas infectadas no Brasil, sendo que menos de 5% delas recebem tratamento.

Atualmente, a hepatite C é considerada a principal causa de transplante de órgãos, com 65% dos casos, e de câncer de fígado, com 60% dos casos. Por ano, são 9 000 mortes causadas por doenças hepáticas, geralmente relcionadas à doença. Ao todo, o levantamento ouviu 2 125 pessoas de 120 municípios.

Também nesta terça-feira, o Ministério da Saúde está convocando a população para fazer o teste da hepatite C. Além de se vacinar contra as outras formas do vírus: as hepatites A e B.

O teste pode ser feito nos postos da rede pública de saúde e é recomendado especialmente para pessoas com mais de 40 anos. De acordo com o Ministério, esta faixa etária é primordial porque nas décadas de 1980 e 1990 havia mais sexo desprotegido, uso de drogas injetáveis e menor controle nas transfusões de sangue e na hemodiálise.

A hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas.

Em geral é uma doença silenciosa que nem sempre apresenta sintomas, mas quando estes aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

Considerada um grave problema de saúde pública, o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza imunizações contra as hepatites virais A e B.

A primeira é direcionada para crianças entre um e dois anos e a segunda para pessoas com até 49 anos.

"São vacinas que já estão mudando a história dessas enfermidades. As próximas gerações muito provavelmente serão livres das hepatites A e B. Mas para a hepatite C precisamos convocar todos aqueles com mais de 40 anos, que tiveram procedimentos cirúrgico, que receberam sangue, que fizeram qualquer tipo de procedimento antes de 1993 para que procurem o posto mais próximo para fazer a testagem da hepatite C".

Sem o teste, a pessoa infectada só vai saber que tem a doença quando os sintomas aparecerem, mas isso só acontece quando a doença estiver em estágio muito avançado.

A transmissão dessa forma da doença, causada pelo vírus HCV, se dá pelo sangue contaminado e pode acontecer por relação sexual, de mãe para filho e em ambiente hospitalar.

De acordo com o Ministério, todos os anos surgem aproximadamente 10 000 novos casos. Na segunda-feira, a pasta lançou um novo protocolo para o tratamento da hepatite C, com 90% de cura.

Hepatites A e B

A hepatite A é causada pelo vírus VHA, se concentra em crianças entre cinco e seis anos e pode ser transmitida pela ingestão de alimento ou água contaminada. Ao contrário das outras formas, a maioria dos casos é benigna e o quadro se resolve espontaneamente em alguns meses.

A hepatite B é causada pelo vírus HBV e é transmitida por sexo desprotegido, sangue contaminado, de mãe para filho ou em ambiente hospitalar contaminado.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: