NOTÍCIAS
23/07/2015 16:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Por suástica no gramado, Croácia é multada em R$ 361 mil e jogará sem torcida

swastika

A Croácia perdeu um ponto em seu grupo nas Eliminatórias para a Eurocopa de 2016, depois de uma suástica ser marcada no campo onde foi disputada uma partida contra a Itália pelo torneio classificatório.

A comissão disciplinar da Uefa anunciou a dedução nesta quinta-feira e também ordenou a Croácia a jogar suas duas próximas partidas como mandante nas Eliminatórias da Eurocopa em um estádio vazio. Nesta edição do torneio classificatório, a seleção croata só tem mais um jogo em casa, diante da Bulgária, em 10 de outubro.

A Uefa também proibiu a Croácia de jogar partidas eliminatórias em Split, que sediou o empate por 1 a 1 com a Itália em 12 de junho. Além disso, a Federação Croata de Futebol terá que pagar uma multa de 100 mil euros (aproximadamente R$ 361 mil).

A federação croata descreveu a punição como "dura, a mais difícil da história" da entidade. "Esta é a continuação das pesadas punições infligidas à associação croata por causa de comportamento de hooligans", diz o comunicado. A federação e a própria Uefa podem apelar da decisão.

Ainda assim, a Croácia permanece na liderança do Grupo H das Eliminatórias da Eurocopa com 13 pontos, um a mais do que a Itália, a segunda colocada, e três a mais do que a terceira Noruega e com cinco de vantagem para a quarta Bulgária, sendo que faltam quatro rodadas para o fim. Os dois primeiros se classificam para a Eurocopa e o terceiro disputará uma repescagem.

A suástica ficou claramente marcada em um dos lados do campo. A partida foi disputada com os portões fechados como punição por cânticos racistas e outros atos de torcedores croatas em um confronto anterior das Eliminatórias da Eurocopa de 2016.

Segundo alguns relatos na Croácia, a suástica foi um protesto de torcedores contra líderes da federação e destinava-se a constrangê-los, obrigando a Uefa a impor uma punição. A Croácia possui grupos de extrema direita que se identificam com a organização fascista Ustasha, que chegou a ocupar o poder no país durante a Segunda Guerra Mundial.