NOTÍCIAS
21/07/2015 14:48 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Temer diz que partido pode deixar o governo se lançar candidato à presidência em 2018

Montagem/Estadão Conteúdo

O prazo de validade da aliança entre o PMDB e o PT está cada vez mais próximo. Dessa vez quem confirmou que o partido cogita deixar a base do governo, especialmente em 2018, foi o vice-presidente Michel Temer.

Em Nova York, ele afirmou que o partido analisa a decisão do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de deixar a base do governo da presidente Dilma Rousseff.

De acordo com a Folha de S.Paulo, Temer reiterou que o rompimento de Cunha foi uma ação pessoal e que “essas decisões são tomadas pela instância partidária". Ressaltou que o correligionário afirmou que vai trabalhar muito para que o partido possa se desvincular do governo.

“Pode ocorrer um dia qualquer que em que o PMDB resolva deixar o governo, especialmente se, em 2018, entender ter uma candidatura presidencial”, pontuou, segundo a Folha.

A advogados americanos, Temer tentou explicar a complexidade do sistema político brasileiro. Fez referência ao fato de congressistas da base aliada votarem contra o ajuste fiscal quando se tratou de direitos trabalhistas.