NOTÍCIAS
21/07/2015 13:42 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Bolsonaro aparece com 5% em cenários de 2018 em que Lula perde para Aécio e Alckmin (PESQUISA)

Montagem/Estadão Conteúdo

Seja com Aécio Neves, seja com Geraldo Alckmin ou com José Serra, o PSDB derrotaria o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se as eleições presidenciais de 2018 fossem hoje.

É o que mostra a pesquisa da Confederação Nacional de Transporte (CNT), em parceria com o instituto MDA, divulgada na manhã desta terça-feira (21).

Abaixo os resultados do levantamento estimulado em três cenários diferentes:

1º turno:

Aécio Neves 35,1%

Lula 22,8%

Marina Silva 15,6%

Jair Bolsonaro 4,6%

-> Com Geraldo Alckmin no lugar de Aécio

Lula 24,9%

Marina Silva 23,1%

Geraldo Alckmin 21,5%

Jair Bolsonaro 5,1%

-> Com José Serra no lugar de Aécio e Alckmin

Lula 25%

Marina Silva 23,3%

José Serra 21,2%,

Jair Bolsonaro 5,5%

Apesar da liderança em dois cenários de primeiro turno, Lula seria derrotado em todos, com base nas simulações de segundo turno:

Cenário 1: Aécio Neves 49,6%, Lula 28,5%;

Cenário 2: Geraldo Alckmin 39,9%, Lula 32,3%;

Cenário 3: José Serra 40,3%, Lula 31,8%;

Ainda segundo a mesma pesquisa, 44,8% dos entrevistados acreditam que o Brasil estaria melhor se Aécio tivesse vencido as eleições de 2014. Já 10,9% acreditam que estaria pior, enquanto 36,5% crê que tudo estaria igual ao atual governo de Dilma Rousseff (PT).

Reforma política

Dois pontos da reforma política foram questionados pela pesquisa CNT/MDA. Primeiro, o fim da reeleição é aprovado por 67,5% dos entrevistados, enquanto 78,1% são contra doações de empresas para campanhas políticas.

O levantamento ouviu 2.002 pessoas entre os dias 12 e 16 de julho, em 137 municípios de 25 Estados. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos, e o nível de confiança é de 95%.

LEIA TAMBÉM

- Igreja e Forças Armadas são as instituições com maior confiança dos brasileiros, diz CNT/MDA (PESQUISA)

- Aécio Neves se confunde e diz que foi reeleito 'presidente da República'

- Dilma acusa 'golpismo' em 2015. Mas e o 'Fora FHC' de 1999?

- ASSISTA: Fã de Bolsonaro exalta ‘orgulho' após xingar Dilma nos EUA

- ASSISTA: Bolsonaro oferece o filho à repórter para provar que família ‘não nega fogo'