NOTÍCIAS
20/07/2015 09:21 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Estados Unidos e Cuba reabrem embaixadas na segunda-feira após décadas de conflitos

AP Photo

A embaixada dos Estados Unidos em Cuba reabre, na segunda-feira, no edifício onde se encontra atualmente a Secção de Interesses norte-americana no país, e o governo cubano abre a embaixada em Washington, depois de décadas de conflitos.

Ao contrário de Cuba, que promoverá na segunda-feira (20) uma cerimônia formal de abertura da sua embaixada, em Washington, os Estados Unidos não farão nenhum ato oficial – não será hasteada a bandeira ou instalada uma nova placa oficial no edifício em Havana – até à visita do secretário de Estado norte-americano, John Kerry a Cuba, cuja data não foi ainda definida.

O prédio da secção de interesses norte-americana em Cuba foi construído em Havana, em 1953, no período do governo do Presidente Fulgencio Batista.

A bandeira dos Estados Unidos foi retirada em 1961, quando o então Presidente, Dwight Eisenhower, rompeu relações diplomáticas com Cuba, em resposta às expropriações do governo revolucionário de Fidel Castro.

A Secção de Interesses dos Estados Unidos em Cuba só foi aberta em setembro de 1977, sob o amparo da missão diplomática suíça e depois do Presidente Jimmy Carter chegar à Casa Branca, tendo sido esse o único chefe de Estado norte-americano a visitar Cuba após a revolução que colocou no poder o Presidente Fidel Castro.

Atualmente a Secção de Interesses dos Estados Unidos em Cuba conta com 360 funcionários, entre norte-americanos e cubanos, além de marines (tropas militares), para fazer a segurança.

Segundo dados do governo norte-americano, durante o ano de 2014, 37.149 cubanos receberam vistos para viagens temporárias aos Estados Unidos e outros 20.552 vistos de imigrante.