NOTÍCIAS
16/07/2015 21:32 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:52 -02

Joanna Maranhão vence síndrome do pânico, bate recorde e fatura bronze no Pan

JIM WATSON via Getty Images
Joanna Maranhao of Brazil competes in the Women's 400M Individual Medley preliminaries at the 2015 Pan American Games in Toronto, Canada, July 16, 2015. AFP PHOTO/ JIM WATSON (Photo credit should read JIM WATSON/AFP/Getty Images)

Joanna Maranhão ficou com o bronze nos 400m medley feminino nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Com 4min38s07, a nadadora conseguiu sua melhor marca pessoal - ela nunca havia nadado abaixo dos 4min40s - e o recorde sul-americano para a prova.

Deixar a casa dos 4min40s era uma meta que Joanna perseguiu por 11 anos. A luta contra o cronômetro criou uma barreira psicológica na atleta, que.chegou a desenvolver síndrome do pânico antes da disputar a prova dos 400m medley.

Mais madura, agora aos 28 anos, Joanna saiu da piscina com uma marca melhor que o esperado e bateu o recorde brasileiro que era dela mesma.

A prova

Depois de uma prova disputada braçada a braçada, a brasileira marcou o quarto tempo, ficando 0,04s atrás da canadense Sidney Pickrem, a medalha de bronze na competição.

Acontece que a canadense Emily Overholt, vencedora com 4min35s33, acabou desclassificada. Com isso, a americana Caitlin Leverenz subiu ao posto mais alto do pódio e Joanna herdou a terceira colocação.

Com a terceira colocação desta quinta-feira, Joanna conquistou sua sétima medalha em Jogos Pan-Americanos, sendo a quinta de bronze. Em Toronto, Joanna já havia faturado o bronze nos 200m borboleta.

Joanna e a política

Ainda antes de viajar ao Canadá para a disputa do jogos, Joanna Maranhão publicou vídeo em sua conta no Facebook onde criticava a aprovação, na Câmara Federal, da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que altera a maioridade penal para uma série de crimes de 18 para 16 anos. A nadadora, que comanda duas ONG's voltadas a crianças e adolescentes, disse que não iria representar "quem aplaude" os deputados federais Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Pastor Marcos Feliciano (PSC-SP) e Jair Bolsonaro (PP-RJ).

Pensei bastante antes de fazer esse vídeo mas considero o desabafo necessário pra minha saúde mental. Estou a caminho do meu quarto campeonato pan americano mas não representarei esse Brasil que segrega e que não se compadece.

Posted by Joanna Maranhão on Quinta, 2 de julho de 2015