NOTÍCIAS
13/07/2015 12:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Prostitutas de luxo foram pagas com dinheiro desviado da Petrobras, diz Alberto Youssef

iStock

Não eram só carros, imóveis ou outros luxos que os envolvidos no esquema de corrupção da Petrobras gostavam de usufruir. Eles também aproveitavam o dinheiro desviado para pagar prostitutas de luxo. É o que disse o doleiro Alberto Youssef aos investigadores da Operação Lava Jato, de acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira (13).

A revelação de Youssef e do seu emissário, Rafael Lopez, veio após ambos serem confrontados com os termos ‘Monik’ e ‘artigo 162’, que constavam nas planilhas com os fluxos de caixa do esquema de corrupção da estatal. Segundo ambos, os pagamentos diziam respeito a garotas de programa de luxo, muitas conhecidas da TV e de revistas.

De acordo com as planilhas, programas podiam custar até R$ 20 mil, mas há lançamentos de R$ 5 mil e R$ 10 mil. Segundo a Polícia Federal, as garotas de programa costumavam buscar os pagamentos em dinheiro no escritório de Youssef, em São Paulo. Festas com prostitutas de luxo também constam nos dados apurados até aqui.

Apesar da prostituição não ser crime no Brasil, a exploração de mulheres em serviços sexuais é.

LEIA TAMBÉM

- Lava Jato: ‘Não sou nenhuma besta fera', diz Sérgio Moro

- Não foi dessa vez: José Dirceu tem pedido de habeas corpus preventivo negado

- Eleições: Crise política vai fazer o PT suar a camisa em 2016, avalia petista

- Dilma sobre novas denúncias da Lava Jato: 'Não respeito o delator'