NOTÍCIAS
12/07/2015 21:23 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:40 -02

Na primeira vez do rúgbi feminino no Pan, Brasil comemora o bronze em Toronto

THIAGO BERNARDES/FRAME/ESTADÃO CONTEÚDO

A seleção feminina de rúgbi sevens conquistou neste domingo (12) uma medalha histórica nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. O bronze enche as meninas de orgulho e também dá um aperitivo para a Olimpíada no Rio, em 2016.

"É um resultado muito importante. É o primeiro Pan do rúgbi no feminino. Acho que ajudará a dar mais visibilidade para o esporte e também vai mostrar que estamos aqui para brigar até o final. É algo histórico", opina Baby Futuro, uma das jogadoras mais experientes da equipe.

Na campanha para ganhar o bronze, o Brasil estreou perdendo dos Estados Unidos, por 26 a 7, no sábado (11). Depois, fez 22 a 5 na Argentina, mas levou 36 a 0 do Canadá.

"O Canadá é o segundo melhor time do mundo", explica Baby, que tem 29 anos e pratica o rúgbi há 16. Ela lamenta apenas os erros que a seleção teve contra os Estados Unidos.

"Nesse nível de competição, não se pode errar." A derrota na estreia praticamente tirou a equipe da disputa da medalha de ouro.

Rúgbi feminino é bronze no Pan 2015


Competição

Neste domingo, ainda na fase de grupos, o Brasil ganhou da Colômbia por 29 a 0 e do México por 57 a 0, evidenciando quão distante é o nível técnico entre as equipes numa modalidade que ainda engatinha.

Chegou à disputa pelo bronze, contra a Argentina, freguês histórica. Venceu por 29 a 0 e, em sua primeira participação no Pan - pois em Guadalajara só houve disputa no masculino - , ficou atrás apenas do Canadá (ouro) e dos Estados Unidos (prata).

Para Edna Santini, o resultado tem de ser festejado.

"Para gente é gratificante conquistar a medalha de bronze. Dá uma vontade a mais e esse é o melhor incentivo para o esporte. Também é uma honra para muitos brasileiros. Acho que esse lugar no pódio vai ajudar as pessoas a terem uma visão melhor do esporte."

Edna é considerada a melhor jogadora de rúgbi do Brasil. Com muita velocidade e habilidade, ajuda a destruir as defesas adversárias e marca muitos pontos. "Para a gente é muito importante poder participar de um evento grande. O Pan dá experiência e nos coloca próximas de outros atletas."