NOTÍCIAS
09/07/2015 13:36 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Papa elogia reformas, troca presentes com Evo Morales e presta homenagem a padre morto na Bolívia

AP Photo

O papa Francisco, que está em viagem pela América do Sul, chegou nesta quarta-feira (8) à Bolívia. O pontífice foi presenteado pelo mandatário boliviano com uma cruz esculpida em madeira, formada por um martelo e uma foice.

A imagem é uma reprodução da que foi criada pelo espanhol Luis Espinal Camps. O sacerdote, que era defensor forte dos direitos dos mineiros, foi torturado e assassinado por paramilitares em 1980.

"Rezemos por este nosso irmão que foi vítima de interesses", disse o papa, pedindo à multidão na estrada para se juntar a ele em um minuto de silêncio.

O papa também ganhou o “Livro do Mar”, com argumentos históricos, diplomáticos e jurídicos que a Bolívia usou para levar o Chile ao Tribunal Internacional de Justiça de Haia.

Em seu discurso ao papa, Morales, que frequentemente entrava em confronto com autoridades da Igreja na Bolívia antes de as relações melhorarem quando Francisco foi eleito em 2013, cumprimentou o papa como um herói que está voltando para casa.

"Em muitos momentos históricos, a Igreja foi utilizada para a dominação, subjugação e opressão. Agora, o povo boliviano te recebe com alegria e esperança", disse Morales.

Francisco, o primeiro papa da América Latina, chegou do Equador no aeroporto de La Paz em El Alto, a mais de 4.000 metros acima do nível do mar, o aeroporto internacional de altitude mais elevada do mundo.

O papa, que perdeu parte de um pulmão devido a uma infecção quando era jovem, ficou apenas cerca de quatro horas em La Paz, sede do governo, e foi para Santa Cruz, onde passará o resto de sua estadia de dois dias no país.

Estima-se que 2 milhões de pessoas assistiram à missa celebrada pelo papa nesta quinta-feira (9) em Santa Cruz.