COMPORTAMENTO
08/07/2015 22:14 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Você consegue perceber a importância da alteração no ícone 'amigos' do Facebook?

Provavelmente até ontem você não reparava no ícone da parte "amigos" no Facebook. Ou, se reparava, não dava muita importância ao fato de que ele era composto por um homem e uma mulher -- mas com a mulher "escondida" atrás do homem.

Incomodada com esta representação, Caitlin Winner, gerente de design do Facebook, resolveu alterar os ícones em questão (a figura masculina também se sobressaía no ícone de "grupos").

“Como mulher, educada em um colégio feminino, era difícil não entender o simbolismo do ícone antigo. A mulher era, literalmente, a sombra do homem. Ela não estava em condições de liderar”, disse em um texto publicado em seu perfil no Medium.

Caitlin diz que também se sentiu incomodada com o fato de perceber que o ícone da mulher tinha um “corte” em seu ombro, e o homem era totalmente simétrico.

Ela tentou redesenhar o ícone com duas pessoas lado a lado, sem precisar uma estar à frente da outra, mas não conseguiu chegar a um resultado totalmente satisfatório.

“Dezenas de tentativas mais tarde, abandonei essa abordagem depois de não conseguir criar um ícone que não se parecesse com um animal mítico de duas cabeças. Eu coloquei a mulher, um pouco menor, em frente ao homem”.

A designer também redesenhou o cabelo da mulher, alegando que, anteriormente, o ícone lembrava a sombra do personagem Darth Vader, de Star Wars (você já tinha reparado nisso, vai!).

”Retirei o capacete estilo Darth Vader da silhueta feminina e dei uma definição mais moderna ao cabelo”, escreveu Caitlin. Além disso, o ombro da mulher possuía problema de simetria. “Foi uma falta de consideração. Como uma mulher com dois ombros robustos, o ponto me ofendeu.”

E os ícones ficaram assim:

facebook gênero

Mark Zukerberg pediu a alteração? NÃO!

O mais interessante é que Caitlin não recebeu nenhum pedido especial para redesenhar o ícone -- e dar prioridade à mulher.

“O ícone de mulher precisava de um ombro, então eu o desenhei”, escreveu.

Segundo Caitlin, ela mostrou os novos desenhos para os engenheiros do Facebook, que gostaram da ideia e já começaram a implementar na versão para celular e tablet -- e as mudanças completas vão aparecendo gradualmente para cada usuário.

Ela conta, inclusive, que o Facebook estimula seus funcionários a ter ações positivas para a empresa sem pedir autorização.

Semana passada, o Facebook também ganhou um novo logo pela primeira vez desde 2005.

Símbolos importam, sim!

Ainda em seu texto, Caitlin conta que, de certa forma, concretizar esta mudança no ícone a conduziu para uma discussão sobre a importância dos símbolos e como precisamos renovar as representações nas quais ainda estamos familiarizados -- e não nos representam mais.

O resultado deste projeto é um alerta sobre como enxergamos o simbolismo. Eu tento questionar todos os ícones, especialmente aqueles com que me sinto mais familiarizada. Por exemplo, é a "pastinha" o melhor símbolo para representar o trabalho? Quais pessoas carregavam maletas e em que século? Quais são as outras maneiras que o "trabalho" pode ser representado e o que estes ícones vão representar para a maioria das pessoas na Terra?

É possível aplicar o mesmo simbolismo que Caitlin faz sobre a "maletinha" representar o trabalho com a representação da mulher representada atrás do homem no ícone.

Estamos em pleno século XXI -- e as mulheres provaram que não existem apenas em função do homem -- e não faz sentido manter uma mulher à sombra de um homem como ícone. Muito menos em uma rede social tão representativa na luta à favor da igualdade de gênero, como o Facebook.

Caitlin ainda adiciona no texto:

"[Aqui no Facebook] tentamos criar uma empresa em que ideias podem ser aproveitadas de forma orgânica, e construir uma plataforma cada vez mais relevante para as pessoas".

Esta é uma pequena mudança em um ícone também pequeno, mas a partir de novas perspectivas tanto de design quanto de representação, faz toda a diferença.

Ou pode ser um começo.