MULHERES
08/07/2015 15:40 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:38 -02

Campeãs, mas e o salário? Jogadoras americanas de futebol estão abaixo da linha da pobreza

us world cup

US$ 6,8 mil por ano (R$ 21,98 mil). Esse é o salário mínimo pago a muitas jogadoras de futebol na NSWL (National Women's Soccer League), a liga feminina americana do esporte. O valor está abaixo dos US$ 11,7 mil anuais (R$ 37,82 mil) da chamada da linha da pobreza federal nos Estados Unidos.

Para se ter uma ideia do nível da desigualdade salarial entre homens e mulheres, o brasileiro Kaká, atleta do Orlando City e mais bem pago da MLS (Major League Soccer), recebe US$ 7 milhões anuais (R$ 22,6 milhões). Os maiores salários entre as mulheres, no entanto, batem no teto dos US$ 37,8 mil (R$ 122,2 mil). Isso tudo num país onde o futebol feminino é reconhecidamente mais praticado e assistido que a modalidade masculina.

kaka

A partida entre Estados Unidos e Japão pela final da Copa do Mundo feminina, disputada domingo, no Canadá, atraiu a atenção de 43,2 milhões de telespectadores, alcançando recordes no país para a modalidade.

O site de pesquisas Atlas, autor da pesquisa que foi divulgada pela revista americana Esquire, traça uma comparação entre o futebol feminino e outras ligas mais populares no país, como a NBA, a MLB e a NFL.

salário mulheres

A brasileira Marta, camisa 10 da seleção e que joga profissionalmente na Suécia, foi a atleta mais bem paga entre as mulheres do futebol no ano que passou. Segundo a pesquisa, ela abocanhou US$ 400 mil (R$ 1,2 milhão) em 2014. Acontece que o, traçando um paralelo, está abaixo do salário anual mínimo de todos os outros atletas das ligas americanas.

marta

Os dados reforçam o grito de Patricia Arquette durante a premiação do Oscar em 2015. A equiparação salarial entre homens e mulheres na Terra do Tio Sam parece ainda muito longe se tornar realidade.