NOTÍCIAS
06/07/2015 11:24 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:35 -02

Brasileiro cria jogo 3D para pessoas com deficiência física

Divulgação

Se as pessoas com deficiência física ainda têm dificuldades no dia a dia, imagina encontrar jogos de videogame adaptados para suas necessidades. O caminho é longo, mas o que não falta são ideias boas tomando forma pelo Brasil.

Uma delas é o projeto “The MoodKingdom”. Criado pelo desenvolvedor de jogos Pedro Barbosa Queiroz, de 23 anos, e pelo ilustrador 3D, Misael Faustino, no início deste ano, o jogo foi um dos vencedores do Real Sense App Challenge 2015, uma competição mundial da Intel. Segundo os criadores, este é o primeiro jogo 3D para pessoas com deficiência do mundo.

O projeto utiliza uma tecnologia da Intel chamada RealSense, uma câmera que reconhece voz, gestos e até expressões faciais. O jogo foi desenvolvido com base nesta tecnologia e possibilita paraplégicos ou pessoas com alguma deficiência jogarem sem utilizar as mãos.

“O usuário controla o jogo com expressões faciais, com a rotação da cabeça e piscando os olhos. A câmera percebe as reações faciais e os movimentos com a cabeça, sem necessidade de usar as mãos ou outras partes do corpo”, explica o pernambucano Pedro.

O jogo foi desenvolvido em apenas dois meses. Pedro admite que, no começo da competição, ele queria apenas se destacar entre os competidores. “Todos estavam criando jogos comuns, para o mesmo público. Pensei em como implementar esta tecnologia de forma diferente.”

Ao passar do tempo, no entanto, o que era apenas um tema para se destacar virou uma oportunidade.

“Mostrei para um amigo cadeirante e ele pirou. Quero levar algo para pessoas que nunca tiveram a oportunidade de jogar videogame.”

Em fase de testes, o jogo está sendo apresentado em associações de pessoas com deficiências. Além dos ajustes finais, Pedro também busca parcerias, investidores ou simplesmente pessoas interessadas no The MoodKingdom.

O jogo deve ficar disponível de graça na internet, mas depende da câmera com tecnologia RealSense, que ainda está sendo produzida pela Intel.