NOTÍCIAS

12 microfranquias com investimento a partir de R$ 6 mil e que faturam até R$ 75 mil por mês

25/06/2015 23:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Abrir um negócio é o sonho de 38,5 milhões de brasileiros -- ou quase 30% da população do País. Segundo o Instituto Data Popular, a vontade de empreender cresceu 22% em dois anos, possivelmente motivada pelo aumento do desemprego e achatamento dos salários.

Mas, sabemos que começar o negócio próprio não é nada fácil. A maioria das empresas abertas fecha nos primeiros dois anos de atividade, segundo dados do Sebrae. Entre as principais causas da mortalidade precoce dos novos negócios estão inexperiência do empresário, vendas insuficientes e fatores econômicos, como juros elevados, perda de mercado e altos impostos.

Para não cometer erros, muitos aspirantes a empreendedores recorrem às franquias, que possuem uma marca já consolidada, expertise e fornecem assistência aos franqueados. No entanto, grande parte das franquias tem investimento inicial astronômico -- algumas chegam a custar o valor de uma casa, o que torna deixa o sonho do negócio próprio ainda mais distante.

Como alternativa, há no mercado as chamadas microfranquias, cujos investimentos iniciais para abrir uma unidade (que englobam capital para instalação, capital de giro e taxa de franquia) não ultrapassam R$ 80 mil.

Como escolher a melhor franquia?

Antes de escolher uma rede e fechar contrato, o interessado precisa ter muita cautela, na avaliação de Marcus Rizzo, diretor da consultoria especializada no setor de franchising Rizzo Franchise. "Quando o desemprego aumento, a procura por franquias aumenta também, mas estar desempregado não é o único requisito para optar por uma franquia."

O especialista analisa que as microfranquias são opções acessíveis para quem quer abrir um negócio, mas é necessário muita pesquisa. "Algumas microfranquias não têm estrutura e dão pouco apoio ao franqueado. Elas só vendem taxas de franquia e o franqueado, sem qualquer ajuda ou por não se identificar com o negócio, fecha a unidade meses depois."

Para não cair em roubadas, Rizzo sugere que, antes de tudo, o futuro franqueado precisa buscar um negócio com o qual se identifique.

"Mais importante do que buscar redes lucrativas, com baixo investimento ou que são consideradas 'tendências', o empreendedor tem de gostar do que vai fazer. Os franqueados sempre devem se perguntar: 'daqui 10 anos me sentirei feliz indo trabalhar nela?'. Se a resposta for sim, ele encontrou o segmento certo para investir."

Além do segmento, buscar a franquia que mais se adeque ao seu perfil é outro passo importante. Para isso, não adianta: tem que pesquisar sobre a marca e estudar o mercado. "O futuro franqueado precisa investigar o franqueador, o que ele está oferecendo."

Nesta etapa, um documento fundamental -- pouco conhecido até mesmo entre pessoas da área -- é o chamado COF (Circular de Oferta de Franquia), um dos instrumentos mais utilizados judicialmente contra ou a favor do franqueador em caso de litígio. Nele, serão colocadas as garantias do que fora prometido pela franquia. "Este documento deve ser entregue, no mínimo, dez dias antes do franqueado assinar o contrato", acrescenta o diretor da Rizzo Franchise.

O COF também tem que mostrar uma lista dos franqueados atuais e daqueles que desistiram do negócio, informando o endereço e telefone.

"Esta lista dará ao futuro franqueado a possibilidade de ir atrás de pessoas que estão no negócio e os que desistiram dele, que sabem como ninguém os desafios e vantagens de abrir a franquia. É como você entrevistar os ex-amores de seu noiv@."

Opções de microfranquias

Antes de avaliar as vantagens e desvantagens das franquias, veja abaixo 12 opções de microfranquias com investimento inicial a partir de R$ 6 mil e que prometem faturamento mensal de até R$ 75 mil, de acordo com dados da ABF (Associação Brasileira de Franchising):

12 microfranquias a partir de R$ 6 mil