NOTÍCIAS
22/06/2015 17:44 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:32 -02

Impactos de asteróides há 3,3 bilhões de anos fizeram os oceanos ferverem

puchan

Não reclame demais quando a temperatura subir no verão, porque antes era pior. Muito pior.

Cerca de 3,3 bilhões de anos atrás, asteroides monstruosos – em alguns casos, duas vezes e meia maiores que a cidade de São Paulo – atingiram a Terra repetidamente, com impactos tão violentos que a temperatura chegou a 500ºC durante semanas, segundo um novo estudo publicado na revista Geology.

As temperaturas atingiram níveis tão extremos que os oceanos literalmente ferveram, provocando uma redução de 100 metros em seus níveis.

Ainda assim, de algum jeito, as primeiras formas de vida conseguiram sobreviver.

“Esses impactos teriam uma influência profunda em qualquer vida tentando evoluir para organismos mais complexos e de temperaturas mais baixas”, disse o geólogo Donald Lowe , da Universidade Stanford, à Science News. “Eles sofreriam esses enormes impactos e seriam extintos ou quase extintos.”

Lowe e o co-autor Gary Byerly, da Universidade Louisiana State, fizeram a descoberta examinando o cinturão Baberton Greenstone, na África do Sul, onde rochas anciãs estão expostas.

Eles encontraram evidências de que a Terra foi atingida por oito asteróides gigantes, de tamanhos que variavam de 19 quilômetros a 96 quilômetros de largura, ao longo de 250 milhões de anos, relata o Ars Technica.

Como comparação, o asteróide causador da extinção em massa que dizimou os dinossauros tinha “apenas” 9,5 quilômetros de largura.

A temperatura de 500 graus e os oceanos ferventes sustentariam a teoria de que toda a vida moderna descende de termófilos (organismos que prosperam no calor extremo), pois tudo o que preferisse o frio teria sido exterminado, segundo a Science News.

“Dá para imaginar esses asteróides aparecendo e podando galhos da árvore da vida”, disse ao site Kevin Zahle, cientista planetário do Centro de Pesquisas Ames, da NASA.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- O asteróide que matou os dinossauros pode não ter provocado uma tempestade de fogo

- Astrônomos encontram vidro em crateras de Marte

- Terra está nos primeiros dias de um novo evento de extinção em massa, alertam pesquisadores